Produtos de beleza e maquiagem masculinos crescem em todo o mundo

Talvez vejamos balcões de cosméticos masculinos nas lojas de departamento, dentro de 5 anos – Cultura RF

O mundo cintilante e luxuoso da seção de cosméticos nas lojas de departamento é uma verdadeira sobrecarga sensorial. Assim como seu primo, o duty free do aeroporto, ele está saturado de luzes e sorrisos prestativos dos funcionários. Conversas se transformam num ruído alto, enquanto um conjunto de diferentes fragrâncias competem para se destacar em meio a um mar de fotos em preto e branco, que mostram supermodelos incrivelmente produzidas.

As modelos são mulheres. As funcionárias são mulheres. As clientes são mulheres. Qualquer homem que entrar neste mundo cheio de Photoshop notará rapidamente que o local não foi feito para ele, e correrá para o departamento masculino.

No entanto, isso pode mudar em breve. Em uma entrevista publicada no Daily Telegraph, o chefe da L’Oreal no Reino Unido, Vismay Sharma, previu que os balcões de cosméticos masculinos podem se tornar uma realidade nas lojas de departamento, dentro de cinco anos, pois este não é mais um tabu para a “geração selfie”.

“Hoje poucos homens querem usar produtos de maquiagem, mas esta proporção está crescendo e vai continuar a crescer,” disse Sharma. “Eu acho que é apenas um aumento da consciência. Duas coisas estão acontecendo: os homens sabem que podem usar maquiagem, e sabem o que ela pode fazer por eles”.

Um homem jovem aplica pó compacto com um pincel.  

“A segunda coisa é que os tabus estão morrendo, então entre a minha geração e a geração do meu filho, os tabus são muito diferentes”.

O conceito de maquiagem para homens já existe há muitos anos, conforme explica o especialista em cuidados pessoais masculinos do Telegraph, Lee Kynaston, que também escreve no The Grooming Guru.

A metrossexualidade não tem nada a ver com o homem se tornar “gay” – é sobre ele se tornar tudo, da mesma forma como as mulheres vêm sendo incentivadas a fazer há algum tempo.

“Eu era adolescente nos anos 80 e usava maquiagem, e muitos dos meus amigos também, porque estava na moda naquela época,” disse ele. Após o fim da tendência do Novo Romantismo, esta ideia foi desaparecendo, mas reaparece de vez em quando. “Em 2001 a Aramis lançou uma linha revolucionária chamada Aramis Surface. Ela incluía produtos como um corretivo, mas foi descontinuada, provavelmente porque era avançada demais para a época”.

Muitos homens gostam de usar os cosméticos da namorada uma vez ou outra, para uma ocasião especial ou para disfarçar olheiras após uma noite de balada. “Uma vez que eles usam, amam o efeito. Se o homem vai a um casamento e a namorada cobre uma imperfeição no nariz dele, ele vai pensar ‘nossa, isso realmente é útil’. Eu já apresentei vários homens aos corretivos para esconder as olheiras”.

Além disso, diversos produtos com características cosméticas chegaram ao mercado sem fazer muito alarde. “A Clarins Men lançou recentemente um realçador de bronzeado, algo muito inteligente, porque é um bronzeador concentrado, num potinho minúsculo, que você pode misturar com o seu hidratante. A Lab Series tem um produto ótimo chamado BB cream, um bálsamo criado para homens, e um hidratante tonalizante que usa muita da tecnologia empregada em cosméticos femininos, como partículas refletoras de luz que dão uma aparência mais bonita à pele”.

Kynaston reconhece que ainda há barreiras a superar antes que produtos como blush e rímel passem a ser usados pelo público masculino. “Os homens estão mais abertos do que nunca a estas coisas, mas a maquiagem masculina ainda é a última fronteira dos cuidados pessoais para homens, ou da beleza masculina”.

Para o escritor Mark Simpson, dono do blog MarkSimpson.com, que criou os termos metrossexual e spornossexual em 1994 e 2014, respectivamente, a tendência faz parte de um longo histórico de mudanças nas noções envolvendo a masculinidade.

“A ideia vitoriana do mundo foi produzida pelo capitalismo primário e extrativo das minas e estaleiros e ferrovias, e esta indústria pesada moldou a ideia do que era um homem”.

“O mundo em que estamos vivendo hoje é muito consumista. Parte da razão pela qual a metrossexualidade surgiu, se baseia no fato de que, numa economia de consumo, você não pode ter metade da população sentada em casa sem comprar coisas. Eles precisam ir às compras, e estar expostos a propagandas. Produtos de higiene pessoal, produtos relacionados à vaidade, beleza e fitness estão todos relacionados, e fazem parte de algumas das indústrias mais lucrativas que existem”.

Diversas estrelas da música pop usavam maquiagem nos anos 70 e 80.

Muitas pessoas entendem os metrossexuais como homens em contato com o seu “lado feminino”. No entanto, Simpson os vê como parte da tendência crescente dos homens de desejarem ser desejados. Ele enxerga o crescimento destas novas ideias de masculinidade como parte de uma mudança na divisão sexual. As mulheres também olham bastante e os homens querem ser olhados (pelas mulheres, por outros homens e por eles mesmos).

“Mulheres que usam calças compridas ou que tomam canecas de cerveja não são vistas como mulheres que estão em contato com o seu lado masculino”, ele explica. “Pelo menos não por pessoas nascidas nos últimos 50 anos”.

“A metrossexualidade não tem nada a ver com o homem se tornar ‘gay’ ou ‘feminino’ – é sobre ele se tornar tudo, da mesma forma como as mulheres vêm sendo incentivadas a fazer, há algum tempo. Isso não implica uma feminização dos homens. O que isso realmente significa é que eles alcançaram as mulheres. É uma forma de libertação”.

“Há um prazer e um poder em ser olhado e admirado em certas situações, e os homens acordaram para isso, principalmente em meio à cultura absurdamente visual das redes sociais”.

Aquela ideia da “geração selfie” está presente novamente, e a tendência parece ser majoritariamente geracional. A linha masculina de beleza da MMUK foi lançada há pouco tempo (sim, o rímel para homens já existe) no site de moda jovem Asos, e um número cada vez maior de tutoriais masculinos de maquiagem está sendo publicado por youtubers como Gary Thompson e Jake-Jamie Ward.

O youtuber Jake-Jamie Ward aplica maquiagem em um de seus vídeos. Crédito: The Beauty Boy/Youtube

Para Kynaston, o formato da loja de departamento é o componente menos realista da tendência. “Os hábitos de compra de produtos de beleza estão se direcionando para o mundo online,” disse ele. “Eles estão se afastando de estabelecimentos físicos e de lojas de departamento, onde você precisa navegar por uma infinidade de produtos femininos até chegar ao que deseja. Eu fiz uma análise de pele numa loja de departamento e me senti extremamente consciente do quanto as pessoas estavam olhando”.

Kynaston pode estar certo, mas somente o tempo dirá se os produtos de beleza masculinos realmente irão decolar. Enquanto isso, podemos especular que, talvez, para uma geração alimentada por curtidas no Instagram e matches no Tinder, perceber o quanto as pessoas estão olhando, é exatamente o objetivo.

Como os homens alcançaram as mulheres

Os homens já gastam mais do que as mulheres em roupas e produtos de beleza

Uma pesquisa australiana com 1.000 homens, realizada pela Suncorp Insurance, descobriu que homens que têm entre 20 e 30 anos gastam em média U$493 por mês na sua aparência. A pesquisa envolveu itens de moda, sapatos e cuidados pessoais. Outras pesquisas chegaram a resultados similares nos Estados Unidos, onde o mercado de roupas masculinas está crescendo mais rápido do que o de vestuário feminino, e deve atingir o valor de U$40 bilhões em vendas em 2019.

Os homens compram mais sapatos do que as mulheres

Em 2013 uma pesquisa da Mintel mostrou que homens com idades entre 25 e 34 anos gastaram mais do que as mulheres em sapatos. Neste verão do hemisfério norte, novas descobertas da Mintel mostraram uma continuação da tendência, após uma pesquisa concluir que homens jovens tenderam a comprar mais sapatos do que as mulheres jovens, no trimestre anterior.

As máscaras faciais masculinas estão atraindo seguidores

Simon Duffy, fundador da Bulldog Skincare For Men: “No começo deste ano o Google revelou que “masking” era o termo mais buscado na categoria de cuidados com a pele. Nós criamos nossa máscara masculina para o mercado coreano, mas ela teve um desempenho tão bom que agora vendemos no Reino Unido, onde está atraindo seguidores, incluindo blogueiros e jornalistas. Além disso, nossos clientes estão compartilhando selfies usando nossas máscaras faciais nas redes sociais”.

Autobronzeadores masculinos

No começo deste ano uma análise da Mintel mostrou que homens britânicos com menos de 25 anos, são mais propensos a fazer bronzeamento artificial do que mulheres da mesma idade. De acordo com Lee Kynaston, o número de homens com idades entre 16 e 24 anos que usa autobronzeadores aumentou 27% no último ano.

Francis Blagburn