Produtores de Hollywood e líderes sindicais negociam para evitar greve

·1 minuto de leitura
Hollywood anuncia grandes lançamentos para atrair volta a cinemas

LOS ANGELES (Reuters) - As negociações foram retomadas nesta terça-feira entre produtores de Hollywood e trabalhadores do setor audiovisual em sets de filmagem de cinema e televisão, um dia após o sindicato autorizar uma greve caso não seja fechado um acordo.

A Aliança Internacional de Funcionários de Palcos Teatrais (IATSE, na sigla em inglês), que representa cerca de 60 mil profissionais que atuam por trás das câmeras, disse em nota que negociações aconteceram com a Aliança de Produtores de Cinema e Televisão (AMPTP, na sigla em inglês), pela primeira vez em mais de duas semanas. Não foram disponibilizados mais detalhes.

Membros da IATSE, entidade que inclui operadores de câmera, maquiadores e técnicos de som, votaram 98% a favor de autorizar uma greve se não houver um acordo com produtores sobre um novo contrato.

Tal greve pode suspender a produção de filmes e programas de televisão pelos Estados Unidos na maior paralisação desde a greve de roteiristas de Hollywood entre 2007 e 2008.

A IATSE quer a redução das longas jornadas de trabalho, e o aumento da remuneração de seus membros que trabalham na produção de programas para plataformas como a Netflix, Disney+ e AppleTV+, que estabeleceram salários mais baixos há 10 anos atrás, quando o streaming ainda vivia seus primeiros anos.

A AMPTP disse na segunda-feira que estava "comprometida a chegar a um acordo para manter o setor trabalhando", mas disse que isso requer que ambas as partes demonstrem "disposição para atingir um consenso e explorar novas soluções".

(Reportagem de Jill Serjeant)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos