Produtores gaúchos vendiam arroz com fezes de rato para SP e RJ, diz TV

Foto: Getty Images

Pacotes de arroz impróprios para o consumo eram comercializadas no Rio Grande do Sul. Os grãos eram empacotados e embalados com pacotes de marcas regulares no Rio Grande do Sul. Fezes de raro e larvas de traças foram encontradas nas embalagens. As informações são da TV Record.

Nesta quinta-feira (10), o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) cumpriu quatro mandados de prisão temporária contra integrantes de uma suposta organização criminosa que praticaria crimes como sonegação fiscal e adulteração de produto alimentício. Também foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão em empresas e residências em cidades do interior de Santa Catarina, onde foram apreendidos caminhões que deveriam transportar o alimento irregular.

Leia também

Os fardos de arroz encontrados estavam localizados ao lado de uma criação de porcos e tinham como destino os estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

Alcindo Luz Bastos, coordenador da operação, conta que 11 pessoas são suspeitas de participar do esquema de compra de arroz diretamente dos produtores gaúchos. Os grãos, sem identificação de procedência, seriam uma mistura com diversos de outros tipos de grãos fora da legislação vigente.

Ainda de acordo com a TV, o grupo também vendia o produto com rótulos de terceiros para impedir rastreamento e a fiscalização pelos órgãos responsáveis.

Além disso, as empresas gaúchas atuam de forma irregular no mercado e, por diversas oportunidades, a venda não vinha acompanhada de nota fiscal. A justiça determinou o bloqueio de contas bancárias de todos os investigados e das empresas que integram o esquema.