Procon estuda ação contra PicPay após falhas no saque de Auxílio

Marcus Couto
·2 minuto de leitura
Escritório da empresa de pagamentos PicPay
Escritório da empresa de pagamentos PicPay

As dificuldades de usuários do sistema de pagamentos digitais PicPay com o saque do dinheiro do Auxílio Emergencial da Caixa persistem, e o Procon precisou se envolver para pressionar por uma resolução. Segundo reportagem da Folha de S.Paulo, o órgão de defesa do consumidor estuda entrar com ações punitivas contra a empresa, caso o problema não for resolvido.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

“O saque emergencial, operação extremamente sensível, deveria apresentar agilidade e eficiência para disponibilidade dos valores liberados, para uso neste período de pandemia. Entretanto, o meio de pagamento PicPay ainda está em fase de implantação de procedimentos para correção das falhas e problemas apresentados”, afirmou o Procon-SP em nota obtida pela Folha.

Leia também

O PicPay se defende, e em entrevista à reportagem, afirmou que “tem acolhido e orientado seus clientes da melhor forma, informando, inclusive, que no caso de débito indevido no cartão, o usuário deve solicitar à Caixa o estorno”.

Segundo o Procon, uma notificação já havia sido enviada à PicPay em junho, mas as respostas não foram satisfatórias, e o órgão agora estuda novas medidas.

Usuários relatam diversos problemas com o saque do dinheiro que é transferido do sistema da Caixa para a conta no PicPay. Em alguns casos, o dinheiro “some”, e em outros, aparece “congelado”, sem poder ser movido. O PicPay afirma que a origem do problema estaria no sistema da Caixa, e que caberia ao banco implementar as soluções. Um problema semelhante ocorreu com o NuBank, também com a transferência do valor do Auxílio Emergencial do governo.

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.