Processo contra Kevin Spacey por abuso sexual é encerrado 3 meses após morte de acusador

Redação


Uma ação judicial que acusava o ator Kevin Spacey de agredir sexualmente um massoterapeuta em 2016, identificado como John Doe, foi encerrada após o espólio do acusador desistir do caso, segundo documentos do tribunal apresentados na segunda-feira, 30.

O documento, no Tribunal do Distrito Federal da Califórnia, afirma que o processo contra Spacey, que enfrenta uma série de alegações de má conduta sexual, foi voluntariamente removido sem prejuízo - o que significa que não pode mais ser devolvido ao tribunal. A conclusão do caso ocorreu menos de uma semana após o escritor Ari Behn, que acusou Spacey de tateá-lo, cometer suicídio.

"O senhor Spacey não pagou dinheiro ao acusador", disse Jennifer L. Keller, advogada do ator, em um e-mail na noite de terça-feira, 31. "O autor da queixa desejava encerrar o caso e estipulamos a destituição para acelerar as coisas. O que você vê na estipulação é tudo o que há para ver. Quaisquer relatos em contrário são falsos", acrescentou.

A revista The Hollywood Reporter disse na terça-feira que um "acordo" levou à conclusão do caso. Um advogado do espólio do massoterapeuta não respondeu imediatamente a um pedido de comentário sobre o tema.

O massagista processou Spacey em janeiro de 2019, acusando-o de ter agarrado sua mão e colocado-a nos órgãos genitais do ator durante uma massagem em uma casa em Malibu, Califórnia. A residência havia sido alugada pela empresa de produção do artista. O processo alegou que Spacey tateou e tentou beijar o homem antes de lhe oferecer sexo oral.

John Doe morreu em setembro, aos 62 anos, e em novembro, um juiz do Tribunal Superior da Califórnia assinou uma ordem indicando o filho do massoterapeuta como administrador especial de seus bens.

Acusações contra Kevin Spacey

A carreira de ator de Kevin Spacey, vencedor de Oscars, desapareceu após várias pessoas o acusarem de má conduta sexual. Em julho de 2019, os promotores de Massachusetts retiraram uma acusação contra ele após um jovem que o havia acusado de acariciá-lo três anos antes, aos 18 anos, recusou-se a testemunhar se havia excluído evidências do celular.

Em outro caso, o ator Anthony Rapp acusou Spacey por uma má conduta sexual de 31 anos antes, quando Rapp tinha 14 anos. O ex-protagonista de House of Cards pediu desculpas pelo que disse, que "teria sido um comportamento bêbado profundamente inapropriado".

No filme Todo o Dinheiro do Mundo, o diretor Ridley Scott refez 22 cenas em que Kevin Spacey aparecia, substituindo-o por Christopher Plummer. Já a Netflix interrompeu a produção de House of Cards (a série recomeçou depois sem Spacey) e abandonou Gore, um filme completamente estrelado por ele como Gore Vidal.

Com informações do The New York Times