Climão real! Príncipe William evita falar sobre tio, Andrew, acusado de estupro

·2 min de leitura
Príncipe William não quis falar sobre as acusações do tio, o príncipe Andrew (foto: Getty Images)
Príncipe William não quis falar sobre as acusações do tio, o príncipe Andrew (foto: Getty Images)

Resumo da Notícia:

  • Príncipe William fingiu que não ouviu quando um jornalista perguntou sobre o seu tio, Andrew

  • A rainha Elizabeth II tirou os títulos militares e o pronome Alteza do terceiro filho, o príncipe Andrew

  • Andrew, o duque de York, é acusado de estuprar uma mulher nos Estados Unidos; ela era menor

O clima está cada vez mais tenso na casa de Windsor, a da família real britânica, e não é por conta da saída de Harry das obrigações. Em um evento nesta quarta-feira (19), o príncipe William evitou perguntas sobre seu tio, o príncipe Andrew.

Ao lado de Kate Middleton durante uma visita ao Foundling Museum, em Londres, o herdeiro do trono birtânico foi questionado por repórteres sobre os novos desdobramentos do processo que envolve o terceiro filho da rainha Elizabeth II.

“Sua Alteza Real, posso apenas perguntar: você apoia o príncipe Andrew?”, disse o repórter Chris Ship, da ITV. “Desculpe, não consigo ouvi-lo”, respondeu o duque de Cambridge desconversando. Chris ainda insistiu: “Você apoia o príncipe Andrew?”, mas William continuou andando.

Antes da visita real, Andrew deixou as redes oficiais de seu ducado, o de Iorque, no Twitter, Instagram e Facebook. O movimento acontece alguns dias depois dele perder todos os seus títulos militares e o direito de ser chamado de Alteza após o juiz do seu caso rejeitar o arquivamento do processo. “Com o aval e endosso da rainha, as filiações militares e associações reais do duque de York serão devolvidas”, diz o comunicado da Coroa.

Respondendo como um civil nos Estados Unidos, ele é acusado pela de agredir sexualmente uma mulher durante uma “festa” na casa do financista Jeffrey Epstein. Virginia Giuffre abriu o processo contra o príncipe em agosto de 2021 e relatou ter sido forçada a fazer sexo com ele quando ainda tinha 17 anos.

O casal real foi visitar uma das instituições de caridade mais respeitadas do reino unido, o Foundling Museum. Ela conta a história do Foundling Hospital, a primeira instituição de caridade para crianças do Reino Unido, fundada em 1739 como um lar para crianças cujas mães não podiam mantê-las ou cuidar delas.