Príncipe acusado de estupro, filho de Elizabeth II, está banido do palácio da rainha

·2 min de leitura
FEBRUARY 3rd 2022: Her Majesty Queen Elizabeth II is called out by some members of the British press for
A rainha Elizabeth II retirou todos os títulos do seu filho, o príncipe Andrew (foto: zz/KGC-178/STAR MAX/IPx 2017)

Resumo da Notícia:

  • Príncipe Andrew é acusado de estuprar uma mulher nos Estados Unidos; a época ela era menor de idade

  • O filho preferido da rainha não pode mais ser visto circulando no Palácio de Buckingham

  • Charles, o herdeiro do trono, está em pé de guerra com o irmão mais novo por ele ter supostamente mentido

As coisas não estão nada fáceis para o príncipe Andrew, o filho preferido da rainha Elizabeth II, que está sendo acusado de estupro nos Estados Unidos. Ele acaba de ser banido da residência oficial da monarca, o Castelo de Buckingham, pelo futuro rei e seu irmão mais velho, o príncipe Charles.

Segundo informações publicadas pelo jornal inglês ‘The Sun’, o futuro rei não quer ver o irmão nem pintado de ouro. O caldo entornou entre eles porque Andrew teria dito, há cerca de três anos, que as denúncias feitas ao magnata Jeffrey Epstein, que é acusado de tráfico sexual nos Estados Unidos, não dariam em nada.

Andrew é acusado de estuprar uma mulher durante uma das festas do empresário em sua ilha particular. À época ela era menor de idade e cita nominalmente o filho preferido de Elizabeth II na denúncia que fez à Justiça Norte Americana.

“Charles quer Andrew fora da linha de visão e fora de cena. Ele foi avisado para manter a cabeça baixa. Ele não quer que o irmão seja fotografado todos os dias parecendo feliz e acenando enquanto se dirige ao Castelo”, teria dito uma fonte no escritório do herdeiro do trono ao jornal.

Dependendo de como o processo seguir, Charles teria dado a entender que pedirá que o irmão deixe a coroa após receber uma indenização. Por conta do avanço do processo nos Estados Unidos, a rainha já retirou todos os títulos e atribuições de Andrew com a Coroa Britânica há cerca de um mês, que é quando foi a sua última aparição próximo a ela.

Em uma declaração pública, Elizabeth II reafirmou o desligamento do filho das funções e pontuou que caso ele vá a júri, como se espera por comentaristas jurídicos, ele deverá ser enviado aos Estados Unidos para responder por seus atos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos