Premiado cineasta iraniano Panahi vai cumprir pena de prisão aplicada há uma década

Presidente do júri, Darren Aronofsky, segura o Urso de Ouro de melhor filme por "Taxi", de Jafar Panahi, durante Festival de Berlim

DUBAI (Reuters) - O premiado diretor de cinema iraniano Jafar Panahi irá cumprir uma pena de 6 anos de prisão aplicada por um tribunal de Teerã em 2010, afirmou um porta-voz do sistema judiciário iraniano nesta terça-feira, em meio a uma intensificação da repressão a dissidentes na República Islâmica.

Panahi foi detido em 11 de julho, enquanto visitava a procuradoria em Teerã para acompanhar os casos de outros dois cineastas iranianos, Mohammad Rasoulof e Mostafa Aleahmad, que foram presos no início do mês por conta de acusações relacionadas a questões de segurança.

"Essa pessoa (Panahi) foi condenada a um total de 6 anos na prisão, por conta de sua propaganda contra a República Islâmica em 2010... que não havia sido cumprida", afirmou o porta-voz do Judiciário Masoud Setayeshi em uma entrevista coletiva.

Em 2010, um tribunal iraniano condenou Panahi a 6 anos na prisão e o proibiu de fazer filmes ou de viajar para o exterior por 20 anos após sua condenação por "propaganda contra o sistema".

Panahi disse na época que era vítima de injustiça, e classificou uma das acusações contra ele como "uma piada". Ele foi solto após pagamento de fiança.

Panahi venceu vários prêmios internacionais, incluindo a Câmera de Ouro do Festival de Cannes por "O Balão Branco", de 1995, e o Urso de Ouro do Festival de Cinema de Berlim em 2015 por seu filme "Táxi", gravado no Irã enquanto ele estava livre após pagar a fiança.

Seus filmes não foram exibidos no Irã.

(Por Parisa Hafezi)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos