Príncipe William descarta viagem a Catar para ver Inglaterra jogar na Copa do Mundo

Príncipe de Gales não viajará ao Catar no próximo mês para assistir à Inglaterra jogar na Copa do Mundo credit:Bang Showbiz
Príncipe de Gales não viajará ao Catar no próximo mês para assistir à Inglaterra jogar na Copa do Mundo credit:Bang Showbiz

O príncipe de Gales não viajará ao Catar no próximo mês para assistir à Inglaterra jogar na Copa do Mundo.

O integrante da realeza britânica não teria intenções de comparecer ao torneio à medida que cresce a controvérsia sobre o histórico de direitos humanos do país, em particular contra as mulheres e a comunidade LGBTQ+.

O príncipe William, de 40 anos, que é presidente da Associação de Futebol, deveria comparecer aos jogos no Oriente Médio em novembro, mas fontes disseram ao jornal ‘The Sun’ na sexta-feira (28.10.22) que ele "culpou uma agenda ocupada durante a Copa do Mundo" por aparentemente não ter mais planos de viajar a Catar para o torneio.

A publicação acrescentou: “Amigos dizem que uma viagem à final se a equipe de Gareth Southgate chegar lá em 18 de dezembro é improvável e provavelmente só faria parte de uma delegação do governo. As agendas de William e sua esposa Kate são apresentadas com seis meses de antecedência, mas nenhum espaço foi encontrado para o Catar.”

William e sua esposa Catherine, princesa de Gales, devem ir a Boston, nos Estados Unidos, para o evento multimilionário ambiental Earthshot Prize, que será transmitido pela televisão em 2 de dezembro, e acredita-se que eles tenham vários compromissos ainda não anunciados durante o torneio. William se tornou o primeiro membro da realeza a aparecer na capa da revista gay ‘Attitude’ em 2016, na qual elogiou jovens gays, lésbicas e transgêneros que resistiram ao bullying.

Ele disse ao título: “Ninguém deve ser intimidado por sua sexualidade.”

As relações homossexuais são ilegais no Catar, levando David Beckham, 47, a ser criticado por receber um grande pagamento para se tornar o embaixador da Copa do Mundo no país.

O ‘The Sun’ disse que um porta-voz de William se recusou a comentar o assunto.