Posse de Regina Duarte tem pouca adesão de famosos e presença de Maria Paula

BRASÍLIA, DF, 04.03.2020 - POSSE-REGINA DUARTE-DF - Cerimônia de posse da nova Secretária Especial da Cultura do governo de Jair Bolsonaro, a atriz Regina Duarte, no Palácio do Planalto, em Brasília, nesta quarta-feira (4). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A posse de Regina Duarte, 73, na Secretaria Especial da Cultura do governo de Jair Bolsonaro, nesta quarta-feira (4), não contou com a presença de muitos colegas da atriz. Em seu discurso, ela falou em pacificação da área e diálogo permanente.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

E nos siga no Google News: Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Entre os poucos rostos conhecidos, chamou a atenção o da atriz e escritora Maria Paula (ex-integrante do Casseta e Planeta).

"Gostei do discurso de posse da Regina Duarte", escreveu em uma rede social junto com um trecho do discurso da atriz. "Que ela se lembre que a cultura não é de esquerda, não é de direita... é plural."

Leia também

Maria Paula foi casada com João Suplicy, filho de Eduardo e Marta Suplicy, entre 2003 e 2010. Os dois são pais de Maria Luiza e Felipe.

Mesmo alguns famosos que declararam apoio a Regina Duarte não compareceram à posse. Susana Vieira, 77, por exemplo, já havia avisado por meio de sua assessoria de imprensa que não poderia estar presente porque está gravando a semana inteira nos Estúdios Globo (antigo Projac), no Rio. Ela está no ar como a Emília da novela "Éramos Seis".

Regina foi convidada pelo governo para assumir a pasta no dia 17 de janeiro. Ela entra no lugar de Roberto Alvim, demitido por Bolsonaro após publicar um vídeo parafraseando um ministro da Alemanha nazista.

Na dia 28 de fevereiro, a Globo divulgou nota oficializando o rompimento do contrato da atriz com a emissora. Regina Duarte estava no elenco da Globo desde 1969, quando atuou no folhetim "Véu de Noiva".

Desde então, Regina deu vida a papéis marcantes na teledramaturgia brasileira. Ao todo foram 31 novelas, oito especiais e centenas de episódios em séries e minisséries na Globo.