Por que você deveria estar assistindo 'Succession', a melhor série da TV?

'Succession' é a série do momento (Foto: Reprodução/HBO/IMDB)

Por Ana Luiza Marques

Lançada sem muito alarde pela HBO em junho de 2018, 'Succession’ foi crescendo no boca-a-boca ao longo dos últimos meses, faturou uma indicação ao Emmy de Melhor Série Dramática por sua primeira temporada e deve se tornar a sucessora (com o perdão do trocadilho) de ‘Game of Thrones’ nos domingos à noite – se não na audiência, pelo menos no tema e nas reviravoltas.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Enquanto a já confirmada terceira temporada não chega, confira os motivos pelos quais você não pode deixar de assistir essa série de tirar o fôlego:

Baseada em fatos

‘Succession’ gira em torno da família Roy, composta pelo patriarca Logan (Brian Cox) e seus quatro filhos. Os Roys comandam o maior conglomerado de mídia e entretenimento do mundo – a fictícia Waystar Royco. A base para a trama, no entanto, não tem nada de ficção: a inspiração para os Roys vem da família Murdoch, que na vida real controla o império News Corp., que inclui a emissora Fox News e o jornal New York Post.

Leia também

Similarmente ao que aconteceu com Rupert Murdoch, o acionista majoritário da News Corp., Logan Roy sofre um derrame no início da série e se vê obrigado a contemplar quem seria seu sucessor como CEO da Waystar Royco. A arte ainda imita a vida quando os irmãos competem por poder, e com a tentativa de um conglomerado de mídia conservador tentar se modernizar fazendo a transição para o mercado digital.

  1. Guerra dos Tronos

Uma família disfuncional que dá mais valor ao poder do que uns aos outros. Poderiam ser os Lannisters, mas não são. Em vez do Trono de Ferro, os Roys competem pela posição de CEO na Waystar Royco. Apesar da pressão para Logan anunciar um sucessor, o perverso patriarca não admite ser substituído, o que significa que seus próprios filhos o traem, assim como ele arma contra os herdeiros, que, é claro, também competem entre si.

Os abomináveis Roys

'Succession' ter's terceira temporada (Foto: Reprodução/IMDB/HBO)

Não há outra maneira de dizer isso: absolutamente todos os personagens de 'Succession' são pessoas horríveis. E, ainda assim, você vai se pegar torcendo por eles quando o mínimo traço de humanidade for mostrado, apenas para ser decepcionado ao revelarem novamente os monstros que são. Entre aqueles que passam por cima de qualquer coisa por poder, e aqueles que querem se candidatar a presidente apenas para não pagarem impostos, prepare-se para amar odiar os Roys e todos que os cercam.

  1. Luxo e riqueza

Apesar de se passar em Nova York nos dias atuais, e não em uma era medieval fictícia, Succession também pode ser vista como uma fantasia, já que a bilionária família Roy vive a vida mais surreal já exibida na TV. Os Roys fazem suas reuniões de família em ranchos e iates de luxo, e voam de helicóptero para jogar uma partida de beisebol ou fazer um piquenique.

  1. Todos os sentimentos

Succession é uma dessas séries que transita por vários gêneros com fluidez, te levando da tensão aos risos em uma mesma cena. O diálogo preciso, cruel e muitas vezes obsceno do roteirista Jesse Armstrong é o ponto alto da série, e o que a faz tão excelente no fim das contas. As brigas entre os irmãos Connor (Alan Ruck), Kendall (Jeremy Strong), Roman (Kieran Culkin) e Shiv (Sarah Snook) são irresistíveis, e a dinâmica entre a dupla de outsiders da família - o primo Greg (Nicholas Braun) e o cunhado Tom (Matthew Macfadyen) -, hilária.

As duas primeiras temporadas completas de ‘Succession' estão disponíveis na HBO Go. Ainda não há previsão de estreia para a terceira temporada.