Por que Klara Castanho engole botões em "Bom dia, Verônica"?

Klara Castanho em
Klara Castanho em "Bom Dia, Verônica". Foto: Reprodução/Netflix

Resumo da notícia:

  • Personagem de Klara Castanho engole botões na trama de "Bom Dia, Verônica"

  • Comportamento é parte de uma doença chamada alotriofagia ou síndrome de pica

  • Ingerir coisas não comestíveis é um sintoma da síndrome

Um detalhe específico da segunda temporada de "Bom Dia, Verônica", que chegou à Netflix na última semana, pode ter deixado muitos espectadores em dúvida. Ângela, a personagem de Klara Castanho na trama, tem o hábito de engolir botões quando está em situações de muita ansiedade e nervoso.

Vítima de abuso do próprio pai, vivido por Reynaldo Gianecchini, que usa a religião para camuflar crimes de assédio e tráfico de pessoas, a adolescente repete o comportamento por diversas vezes ao arrancar botões das blusas em que está vestindo nos momentos de tensão.

Embora a série não aprofunde o contexto de Ângela, a ciência explica que a vontade irresistível de ingerir itens que não são comestíveis ou sem nenhum valor nutritivo é um sintoma de um transtorno alimentar chamado alotriofagia ou também síndrome de pica. A doença costuma acometer crianças na introdução alimentar, mas pode se iniciar até os seis anos de idade ou mais.

Alotriofagia ou Síndrome de Pica

Deficiências nutricionais como ferro (anemia) e zinco e distúrbios mentais, como esquizofrenia, transtorno obsessivo compulsivo (TOC) ou depressão, são as principais causas do transtorno. Fica nítido que a personagem de Klara Castanho é acometida pela doença por conta de problemas psicológicos em meio à pressão abusiva do pai e a privação de viver uma vida comum de adolescente.

De acordo com o psiquiatra Hewdy Lobo Ribeiro, no portal Minha Vida, é comum observar o consumo de terra, barro, cabelo, alimentos crus, cinzas de cigarro e fezes de animais em pacientes com alotriofagia, mas comer itens inofensivos como gelo também pode se enquadrar no comportamento do transtorno.

Para o diagnóstico da síndrome, o paciente precisa estar se comportando dessa forma, ou seja, comendo itens sem teor nutritivo ao corpo, por pelo menos um mês.

"Bom dia, Verônica"

Lançada em 2020 pela Netflix, "Bom Dia, Verônica" foi renovada no mesmo ano ao trazer temas muito relevantes e necessários para as telas, como o combate à violência contra a mulher e corrupção, com reflexos fortes da realidade em cada episódio.

Na trama, Verônica Torres, vivida por Tainá Muller, é uma escrivã da Delegacia de Homicídios de São Paulo que não aceita injustiças, principalmente quando vêm carregadas de machismo e opressão, e se dedica ao máximo para a resolução dos casos que surgem na sua frente.

O novo enredo da produção é marcado pela investigação da história de Ângela, vivida por Klara Castanho, uma jovem que é vítima de abuso ocasionado pelo próprio pai, interpretado por Reynaldo Gianecchini. O abusador usa a religião para camuflar crimes de assédio. Confira o trailer:

Ouça o Pod Assistir, podcast de filmes e séries do Yahoo: