Por que Cauã Reymond não assinou a carta pela democracia? Ator responde

Cauã Reymond após desfile de Christian Dior na loja carro chefe de Montaigne Dior em junho de 2022 em Paris, França. (Foto: Francois Durand/Getty Images For Christian Dior)
Cauã Reymond após desfile de Christian Dior na loja carro chefe de Montaigne Dior em junho de 2022 em Paris, França. (Foto: Francois Durand/Getty Images For Christian Dior)

Cauã Reymond deixou algumas pessoas intrigadas com o motivo de não ter assinado a carta em defesa da democracia, que recebeu o apoio de grandes nomes do meio artístico. Aos 42 anos, o ator, que retorna aos cinemas em setembro como protagonista do filme "A Viagem de Pedro", revelou o motivo de não ter assinado o documento.

"Não assinei a carta pela democracia, porque não estou conseguindo parar por conta do trabalho. Tenho candidato, mas prefiro manter esse assunto de forma privada", declarou Cauã em entrevista à “Veja”.

O ator ressalta que prefere usar suas plataformas nas redes sociais para promover apenas conteúdos voltados para sua carreira artística. "Prefiro falar através das minhas obras, principalmente das que eu produzo, não as que sou convidado como ator, porque dessas eu não tenho controle. Mas um filme como D. Pedro é uma forma de me posicionar", justificou.

A Carta pela Democracia foi criada por ex-alunos da Faculdade de Direito da USP como forma de homenagem aos 45 anos da "Carta aos Brasileiros". O documento conta com mais de 3 mil assinaturas, entre elas de banqueiros, empresários, juristas e artistas.

Entre os membros da classe artística estão: Fernanda Montenegro, Luisa Sonza, Alinne Moraes, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Djavan, Juliette, Antonio Fagundes, Bruno Mazzeo, Gal Costa e mais.