Caroline Dallarosa acreditava ser filha de Michael Jackson; saiba motivo

Carol Dallarosa acreditava que Michael Jackson era seu pai biológico (Foto: Divulgação Imprensa Globo / Reuters)
Carol Dallarosa acreditava que Michael Jackson era seu pai biológico (Foto: Divulgação Imprensa Globo / Reuters)

Resumo da Notícia:

  • Caroline Dallarosa cresceu acreditando que Michael Jackson está vivo

  • Para atriz, o cantor era seu pai biológico

  • Artista relatou como soube da fanfic criada pela mãe

Intérprete de Arminda em "Além da Ilusão", Caroline Dallarosa detalhou seu teste para estrear em "Malhação", em 2019. A atriz contou que improvisou uma teoria de que Michael Jackson, que morreu em 2009, vítima de intoxicação por remédios, ainda está vivo.

"Acabou o teste e a mulher falou: 'Nunca vi ninguém fazer um teste assim, foi a coisa mais esquisita que eu já vi. Foi genial!'. Ela ria e eu fiquei (pensando): 'Não era pra achar engraçado, o que ela tá rindo? Eu falei coisas seríssimas'", disse ela ao colunista Gabriel Perline, do "iG".

O rei do pop tem muita influência na vida de Carol. Desde bebê, ela ouvia músicas do artista em casa porque sua mãe e seu tio eram grandes fãs. "Minha mãe tinha mania de deixar ele tocando pela casa, ela não tinha muita paciência para ver desenho comigo e com meu irmão, então eu cresci sabendo tudo sobre ele", explicou, acrescentando que também "achava um máximo" os clipes do cantor.

Foi em meio a isso que a mãe inventou a brincadeira de que ela era filha do artista. "Ela chegou e falou: 'Filha, sabe o motivo do seu pai não ser muito presente? Porque você não é filha dele, você é filha do Michael Jackson. Sabe aquele clipe dele com a bandeira do Brasil? Então, ele veio para o Brasil, a mamãe conheceu ele e a gente se apaixonou, e teve você. Mas a mamãe não queria essa vida de fama pra você, então a gente ficou aqui no Brasil e ele voltou pra lá, mas ele gosta muito de você'", detalhou. O clipe em questão é "They Don't Care About Us", gravado em Salvador, em fevereiro de 1996.

"Eu devia ter uns quatro ou cinco anos, tudo fazia sentido na minha cabeça. Demorou para desmentir. Eu cheguei a falar isso na escola e todo mundo ficou me chamando de mentirosa e eu fiquei: 'Minha mãe que contou, pode perguntar pra ela'", lembrou a artista.