Coronavírus: usar luvas pode favorecer a propagação

Mulher usando luvas e máscara em Turim. A Itália teve mais de 60.000 casos confirmados desde que o surto de coronavírus foi identificado. (Getty Images)

Especialistas alertam que as luvas são pouco úteis para prevenir o coronavírus. Acredita-se que o vírus tenha surgido em um mercado de frutos do mar e animais vivos na cidade chinesa de Wuhan, no final do ano passado.

Desde então, ele se espalhou por todo o mundo, com casos confirmados em mais de 150 países em todos os continentes habitados. Com o número de mortes superando os 16.000 e nenhum medicamento capaz de “matar” o vírus, a prevenção é cada vez mais importante.Em uma tentativa de se proteger, muitas pessoas têm sido vistas usando luvas de látex na rua.

Embora a prática possa parecer inofensiva, especialistas alertam que o uso de luvas contaminadas pode favorecer a infecção, e que lavar as mãos com água e sabão ainda é a melhor alternativa.

Funcionários desinfetam um trem em São Petersburgo em 19 de março. A Rússia tem 438 casos confirmados. (Getty Images)

Desde que o surto de coronavírus foi identificado, mais de 370.000 casos foram confirmados em todo o mundo.Entre eles, mais de 100.000 se “recuperaram” e estão testando negativo para o vírus, que costuma ser leve em quatro de cada cinco casos.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

E nos siga no Google News: Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

O número de novos casos declinou na China, que tem reportado poucas novas incidências “domésticas”.A Europa é o atual epicentro da pandemia; a Itália tem, sozinha, mais de 60.000 casos e 6.000 mortes. Mais de 45.000 testes foram realizados no Reino Unido, que até o momento teve mais de 6.000 casos confirmados e 335 mortes.

Leia também

Por que as luvas “são ineficientes” para prevenir o coronavírus

O coronavírus se espalha principalmente por meio de gotículas infectadas expelidas quando um paciente tosse ou espirra.Há evidências de que ele também pode sobreviver em superfícies, mantendo-se vivo por até três dias no plástico e no aço inoxidável.

Portanto, as pessoas podem acabar contaminando suas luvas de forma acidental.Os seres humanos são seres táteis. Por isso, as luvas podem ser levadas aos olhos, à boca ou ao nariz – pontos de entrada para que o vírus penetre no corpo.

“Se as pessoas não pararem de tocar no rosto, as luvas serão inúteis,” disse o Dr. Amesh Adalja, da Johns Hopkins University.Um estudo de 2015 publicado na revista American Journal of Infection Control descobriu que as pessoas tocam no rosto uma média de 20 vezes por hora.

Para prevenir a infecção, as autoridades estão pedindo que a população lave as mãos regularmente.“As luvas não substituem a necessidade de lavar as mãos,” disse o Dr. Adalja.

Olivier Veran, ministro da saúde da França, acrescentou: “Se você está usando luvas, não está lavando as mãos”.Também não há consenso sobre a eficácia das máscaras de proteção.

As máscaras raramente cobrem os olhos e se tornam ainda menos eficazes quando molhadas pela umidade resultantes de nossa respiração.Como o coronavírus pode sobreviver no tecido, algumas pessoas também podem acabar contaminando as mãos no momento de remover a máscara.

“As pessoas estão sempre reajustando suas máscaras, e isso pode acabar provocando a contaminação,” disse Jerome Salomon, diretor de saúde da França.

Pesquisas sugerem que as máscaras são eficazes em contextos clínicos, como em hospitais. Isso pode ser explicado pelo fato de que, teoricamente, os médicos descartam as máscaras após cada uso, e as instalações também são desinfetadas regularmente.

“Há poucas evidências que apoiam o uso de máscaras ou luvas fora de um ambiente clínico (como ao tratar um paciente) para prevenir a infecção,” disse o Dr. Tom Wingfield, da Liverpool School of Tropical Medicine.

No entanto, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) recomenda que os pacientes usem máscara se suspeitarem estar com a doença e estiverem perto de outras pessoas.

“Os pacientes com casos suspeitos ou confirmados [de coronavírus] devem usar máscara de proteção até que estejam isolados no hospital ou em casa,” afirma a agência norte-americana. “O paciente não precisa usar máscara de proteção enquanto estiver isolado”.

Se você estiver cuidando de alguém com coronavírus, o professor David Heymann, da London School of Hygiene & Tropical Medicine, recomenda que ambos usem máscaras para uma “dupla proteção”. Nesse caso, as luvas também devem ser usadas, se forem removidas “corretamente”.

O CDC aconselha que as pessoas segurem a parte externa de uma das luvas no pulso, sem tocar na pele.

A luva deve ser removida até virar do avesso.

Segurando a luva removida com a mão que ainda está de luva, remova a segunda luva escorregando os dedos sem luva sob a luva, e puxe até que ela também vire do avesso.

Deixe a primeira luva dentro da segunda e descarte as duas; lave as mãos “imediatamente”.

O que é o coronavírus?

O coronavírus é uma cepa de uma família de vírus, dos quais sete são conhecidos pela sua capacidade de infectar seres humanos.

Outras cepas incluem as que causam o resfriado comum e a síndrome respiratória aguda grave (SARS), que matou 774 pessoas durante um surto em 2002/2003.

Inicialmente o coronavírus tende a causar sintomas semelhantes aos da gripe, como febre, tosse e falta de ar leve.Embora ele se espalhe através da tosse e dos espirros, há evidências de que o contágio também possa ocorrer por meio da urina e das fezes.

A maioria dos casos é leve, mas alguns deles podem evoluir para uma pneumonia se a infecção se espalhar para os alvéolos pulmonares, deixando-os inflamados e cheios de fluido ou pus.Isso pode fazer com que os pulmões tenham dificuldade para inspirar o ar, resultando na redução do oxigênio na corrente sanguínea e no acúmulo do dióxido de carbono.

O coronavírus não tem um tipo de tratamento específico, e a maioria dos pacientes combate a infecção naturalmente.Os que precisam de hospitalização recebem “cuidados de suporte”, como a ventilação mecânica, enquanto o seu sistema imunológico trabalha para vencer a doença.

As autoridades pedem que as pessoas evitem a infecção lavando as mãos regularmente e mantendo distanciamento social.

Alexandra Thompson

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário