Por que Arthur Aguiar não é questionado sobre acusações de abuso contra Maíra Cardi?

Arthur Aguiar e Maíra Cardi no
Arthur Aguiar e Maíra Cardi no "Fantástico" (Reprodução Globoplay)

Um trecho da entrevista de Arthur Aguiar e Maíra Cardi no "Fantástico" trouxe de volta para a discussão as acusações da coach a respeito do relacionamento com o marido. Maíra denunciou o vencedor do "BBB22" em 2020 por abuso psicológico, traição e chegou a afirmar que ele estava quase agredindo-a fisicamente após ataques de ciúme e controle. Arthur confessou as inúmeras traições, incluindo na época em que Maíra estava no puerpério, mas negou qualquer tipo de abuso e entrou com uma liminar para impedir a esposa de citar seu nome nas redes sociais.

"Eu tô prestando atenção em vocês, porque vocês estão de mãos dadas aí desde o começo, você sempre carinhoso com ela. Vocês tiveram uma momento de separação, que muita gente ficou sabendo porque você, Maíra, acabou postando algumas coisas. Você chegou a dizer que ele era um marido tóxico em alguns momentos, que ele te abandonou. Mas vocês se reconciliaram depois", incitou a repórter do "Fantástico".

A coach foi extremamente detalhista e aberta na época em que as denúncias foram feitas, e questioná-la novamente sobre o assunto não faz sentido sendo que a questão é delicada e o próprio Arthur está presente para responder as perguntas. O que aconteceu entre Arthur e Maíra e a reconciliação dos dois não é algo de domínio público e só eles podem responder pela própria convivência, mas é um gatilho para mulheres que sofreram abuso ou qualquer tipo de violência ver que o homem nunca é questionado diretamente pelo que aconteceu, cabendo à vítima explicar algo doloroso e íntimo.

Por que as mulheres não vão embora?

Mesmo traumatizadas, mulheres são questionadas inúmeras vezes sobre detalhes de abusos, têm a sanidade e a credibilidade colocadas em cheque e se deparam com a clássica e cruel pergunta: mas se ele era abusivo, por que você simplesmente não foi embora?

Enquanto Maíra fazia as denúncias de abuso contra Arthur em 2020, em suas redes sociais, não eram poucas as críticas que apontavam que a coach ficou com o brother após tantas traições e ameaças por espontânea vontade. De acordo com a psicanalista Maria Homem em um vídeo sobre o assunto, é comum que vítimas de abuso, violência ou agressão psicológica retornem para o agressor no dia seguinte. "Pode haver uma identificação com o agressor, mesmo inconsciente. Ser agredido é algo muito doloroso, e a pessoa nega o que houve e pensa: é possível refazer essa cena, dar outra chance? É aí que a vítima recomeça do zero a relação com o agressor".

O problema, especialmente em uma sociedade machista e misógina como a brasileira, é que a pergunta certa não é questionar a vítima sobre ter permanecido, e sim intimar o abusador a parar com suas agressões. Em uma entrevista sobre o relacionamento abusivo que teve com o ator Shia LaBeouf, a cantora FKA Twigs se incomodou ao ser questionada sobre o motivo de não ter abandonado o namorado quando ele tentou estrangulá-la em público.

"A pergunta não deveria ser para mim, a vítima. A real pergunta aqui deveria ser para o abusador: por que você está abusando de alguém e fazendo dela sua refém? As pessoas dizem que não deve ter sido tão ruim, porque se fosse, eu teria ido embora. A verdade é que foi tão ruim que eu simplesmente não tinha capacidade de ir embora".

Os dados são assustadores

De acordo com dados do estudo "Visível e invisível: a vitimização de mulheres no Brasil", feito pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública em 2021, uma em cada quatro mulheres brasileiras sofreu algum tipo de violência no último ano, seja ela física, psicológica ou sexual. Oito mulheres foram agredidas fisicamente por minuto.

No caso de violência doméstica, uma mulher é agredida no país a cada dois minutos. A pandemia piorou a situação ai tirar muitas mulheres do trabalho presencial, facilitando a agressão de pais, maridos, namorados, irmãos e outros parentes. De acordo com dados da OMS, o panorama mundial comprova que uma em cada três mulheres em um relacionamento já sofreu violência por parte dos parceiros.

Ainda de acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, uma mulher foi estuprada a cada dez minutos no Brasil em 2021, com 56,1 mil casos registrados oficialmente, fora os que nunca chegaram a ser denunciados. Em 2021, foram registrados 1.319 feminicídios no Brasil, com taxa de mortalidade de 1,22 para cada 100 mil mulheres.

Arco de redenção

Outra questão a ser discutida é o arco de redenção criado após a vitória de Arthur Aguiar no "BBB22". Diante do questionamento da repórter do "Fantástico" sobre os abusos, Maíra respondeu que acreditava que o marido é hoje um novo homem. "Todos nós erramos ou já fomos alguma coisa a qual não nos orgulhamos. As pessoas têm o direito de mudar e se transformar", explicou. Em seguida, Arthur se manifestou: "Não achei que eu pudesse sair do 'BBB' pior do que eu entrei. O erro não pode definir a gente. É ele que faz a gente crescer, faz a gente se perceber, faz a gente querer fazer diferente, sabe?".

A mesma narrativa do herói que deu a volta por cima foi adotada pelo apresentador Tadeu Schmidt, que não mencionou as acusações a respeito de Arthur e chamou o brother de "corajoso" por ter enfrentado o cancelamento. "Você é talvez o cara mais corajoso que já pisou nessa casa. Não preciso nem quero explicar o motivo. Imagina o quanto podia ter dado errado. Mas você veio com vontade, é o símbolo do comprometimento", afirmou Tadeu.

Não cabe a nós julgar o que aconteceu no relacionamento entre Arthur e Mayra. Atualmente, a influenciadora digital defende o marido a todo custo e fez toda uma campanha de marketing voltada para alavancar a torcida de Arthur e defender sua reputação contra qualquer tipo de crítica ou ataque. O que acontece no relacionamento dos dois jamais saberemos, mas é fato que o discurso de Tadeu, ao chamar um homem acusado de abuso de corajoso, é um gatilho para mulheres que já viram seus abusadores serem amados e idolatrados mesmo após denúncias de violência.

A mesma coisa aconteceu durante a entrevista do "Fantástico". Enquanto Maíra foi colocada na posição de precisar defender o marido e ser questionada pelas acusações de abuso que fez, Arthur não precisou responder por nada, alimentando apenas a narrativa de superação que adotou desde o início do "BBB22".

As acusações

Em 2020, Mayra começou suas denúncias contra Arthur, afirmando que ele era um homem abusivo e manipulador, que a acusava de traição enquanto a traia com inúmeras mulheres. "Eu vivi um relacionamento abusivo e manipulador, onde eu era extremamente traída durante muitos anos. E é sobre isso que eu vim falar, da maneira mais dura e mais direta e da maneira mais sincera possível, porque eu cansei disso. Sinto muito por todas as famílias que ele destruiu além da minha", afirmou ela na época.

Embora nunca tenha sofrido violência física, Mayra explicou que teve medo do que poderia acontecer. "Não houve abuso físico, mas estava perto de acontecer. Se você ver tudo que ele fez comigo, o próximo passo era bater. A mentira e a manipulação diária... Eu não sei o que ele é, não sei a patologia adoecida da mente dele. Não sei se ele é um narcisista perverso. Me parece que sim".

A influenciadora digital também afirmou que os pontos de sua cesárea estouraram de tanto nervoso por ser abandonada por Arthur durante o puerpério.

"Estourei os pontos da cesárea de tanto nervoso, tanto autoritarismo. Passava a madrugada sozinha, ficava sem banho, sem comer e você não queria babá. Tinha esperança que você mudaria, de que seria um bom pai. Quando eu chorava e dizia que me sentia abandonada, enquanto você passava o dia todo vendo série, eu pedia desculpa. Você era um perverso e manipulador, e eu acreditei. Depositei todos os meus sonhos na mão dele, depositei tudo o que eu tinha, meu dinheiro, coloquei ele em todas as minhas contas como ator principal, coloquei ele a frente das minhas empresas e dos meus negócios para ele se sentir mais útil, porque quando a gente se conheceu ele tinha acabado de falir", completou.

Em resposta, Arthur admitiu todas as traições, mas se recusou a aceitar o rótulo de abusivo. "Abusador é algo muito sério, e isso eu nunca fui. Tenho obrigação de me posicionar porque violência contra a mulher é algo muito sério. Faço isso pela minha integridade e pela minha filha. Eu traí e me arrependi demais, mas nunca fui abusivo", disparou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos