Por que ainda uso maquiagem todo dia, mesmo ficando dentro de casa

Em tempos difíceis, a maquiagem pode ser uma grande demonstração de amor-próprio. Para mim, ela significa que eu acredito que sou digna desse esforço, mesmo que, e especialmente quando, ninguém vai me ver maquiada. (Fotos cortesia de Veronika Bondarenko)

Precisei de uma pandemia para entender que sabemos pouco sobre os motivos pelos quais as mulheres usam maquiagem. A ideia de que nos maquiamos pela insegurança de mostrar nossos rostos reais me foi transmitida durante anos – por namorados, por amigas progressivas e pelas muitas pessoas que acreditam que as mulheres se arrumam para impressionar os outros. Eu sempre senti que não era bem isso, mas não conseguia explicar o porquê.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Foi então que a pandemia de coronavírus começou, e continuo usando maquiagem. Nas últimas seis semanas de quarentena, eu não vi ninguém, além da minha família. Ainda assim, não passei um dia sem delineador. Eu ainda usei blush e duas camadas de rímel antes de pegar meu notebook e começar meu dia trabalhando remotamente.

Leia também

Há muitas razões para levar as coisas de forma mais leve e esquecer a maquiagem. Diversas amigas estão fazendo isso, celebridades estão fazendo isso, e além das possíveis reuniões no Zoom, ninguém vai vê-las para notar a diferença.

Quem se importa com a aparência quando está presa em casa? Na verdade, esse é exatamente o ponto. Eu me importo, e escolhi continuar usando maquiagem. Eu posso não sair de casa para fazer nada além de uma curta caminhada, mas coloco perfume, como colocava antes da pandemia; eu trabalhava em cafeterias e ia almoçar com amigas em restaurantes cheios.

Em tempos difíceis, a maquiagem pode ser uma grande demonstração de amor-próprio. (Foto cortesia de Veronika Bondarenko)

Em tempos difíceis, a maquiagem pode ser uma grande demonstração de amor-próprio. Para mim, ela significa que eu acredito que sou digna desse esforço, mesmo que, e especialmente quando, ninguém vai me ver maquiada. Ela me distrai e me traz um pouco de alegria quando as preocupações ameaçam me dominar. Mas acima de tudo, a maquiagem é uma pequena maneira de manter o controle quando parece que a vida está rumando para uma direção terrível e incontrolável.

Eu não posso fazer o coronavírus desaparecer, mas posso fazer um delineado gatinho e me sentir um pouco melhor. A seguir, apresento cinco maquiagens que usei em cinco dias diferentes durante a quarentena.

Segunda-feira

Um visual arrumado para começar a semana com o pé direito. (Foto cortesia de Veronika Bondarenko)

Essa é a minha maquiagem habitual na quarentena, e o que uso para me sentir arrumada mesmo nos dias mais desmotivados e monótonos. Estou posando um pouco para a selfie, mas a ideia é ter um visual normal. Os produtos que usei – base, gloss labial, delineador da farmácia e rímel – são os que uso diariamente.

Eu fiz alguns experimentos com diferentes tons para os lábios. O toque final: o perfume chiquérrimo primaveril que minha mãe me deu de presente há alguns meses. Foi ela que me ensinou a sempre usar perfume, não importa se alguém vai ou não sentir o cheiro.

Terça-feira

Deixei as sobrancelhas bagunçadas mais grossas com a quantidade certa de lápis marrom. (Foto cortesia de Veronika Bondarenko)

Mesmo usando maquiagem todos os dias, isso não significa que seja perfeita – algumas coisas exigem esforço demais, até para alguém viciada em beleza como eu. Tenho deixado minhas sobrancelhas crescerem e não estou desenhando-as diariamente como fazia quando saía de casa.

Na terça-feira, usei o meu kit em pó dar e relembrei os tempos pré-quarentena com sobrancelhas mais definidas. Eu também testei um batom líquido. Adorei o tom cor-de-rosa na embalagem, mas depois de ver o resultado, fiquei me perguntando se ele não é leve demais para combinar com a maquiagem mais intensa dos olhos. Esse é o lado bom da quarentena: você pode cometer erros de maquiagem, sem se sentir pressionada a parecer “bela”.

Quarta-feira

Para mim, as quartas-feiras são perfeitas para fazer as unhas. (Foto cortesia de Veronika Bondarenko)

Quarta-feira é o dia das unhas! No ano passado, criei o hábito de ir ao salão para manter minhas unhas postiças de gel a cada quatro ou cinco semanas. Durante a quarentena, estou me virando com minhas unhas curtas e encontrei alguns esmaltes antigos. Passei uma base vermelha e fiz bolinhas brancas cuidadosamente com a ponta de um palito de dente. Quanto ao meu rosto, usei o dia para praticar o delineado gatinho que costumava evitar porque minha mão tremia e eu tinha medo do delineador líquido. Agora é o momento perfeito para aprender a usá-lo, mas ainda não tenho tanta confiança na minha habilidade.

Quinta-feira

O delineado gatinho e a cor forte nos lábios fizeram com que essa maquiagem se destacasse mesmo com os óculos no rosto. (Foto cortesia de Veronika Bondarenko)

Antes da pandemia, eu alternava entre usar lentes de contato e óculos – gosto de armações grandes que criam um visual nerd. Quando não tenho nenhum lugar para ir, prefiro dar um descanso aos meus olhos e uso mais os meus óculos. Essa foi a oportunidade perfeita para brincar com a maquiagem e fazê-la se destacar mesmo atrás das lentes. Misturei uma sombra bege e uma marrom e usei o Google para aprender a fazer um delineado gatinho. A minha mão ainda treme com o delineador líquido, mas acho que estou melhorando. O magenta dos lábios é só por diversão. Queria ter um lápis de boca do mesmo tom para fazer cantos mais precisos.

Sexta-feira

Um visual inspirado nas sereias com verde-turquesa nos olhos e uma pequena trança lateral. (Foto cortesia de Veronika Bondarenko)

A semana de trabalho usando maquiagem voou e eu queria terminá-la fazendo algo mais especial. Pesquisei ideias de sombras intensas no Google e encontrei um visual de “sereia” que adorei em uma lista de tutoriais de maquiagem. Usando uma paleta antiga, recriei uma base dourada que se transforma em turquesa nos cantos das minhas pálpebras.

Durante a quarentena, também comecei a assistir a vídeos com tutoriais de como fazer tranças e arrumar o meu cabelo, que nunca esteve tão longo desde o ensino médio. Uma trança holandesa, pequena, na lateral, e um batom cintilante nos lábios completaram o look. Todo esse esforço para ouvir um “Você ainda se importa em usar maquiagem?” no encontro com minhas amigas no Zoom naquela noite. Mas esse é o ponto, não? Eu tenho me importado.

Veronika Bondarenko