Por que a liberdade sexual de mulheres como Maria, do "BBB 22", ainda é um tabu?

·3 min de leitura
Maria está causando no
Maria está causando no "BBB 22" (Foto: Reprodução/Globo)

Maria está vivendo o "BBB 22" de forma intensa. A artista já beijou Linn da Quebrada e movimentou o edredom com Eliezer. Livre e empoderada, ela fala sobre sexo sem tabu e adora compartilhar suas experiências com os colegas confinados. Na festa desta quarta-feira (2), a sister não escondeu a vontade de transar, pegou três camisinhas e chamou Eliezer para o quarto.

O que é parentalidade positiva?

O comportamento de Maria, porém, chocou algumas pessoas. Nas redes sociais, a atriz foi alvo de comentários machistas e misóginos. O que parece incomodar é o fato dela saber o que quer e ser bem resolvida a ponto de não se importar com as câmeras. Em contrapartida, pouco se fala sobre Eliezer, que curtiu ser desejado, aproveitou a noite com Maria e também é responsável por seus atos.

Os ataques, embora destinados à atriz, refletem o que todas as mulheres, anônimas ou famosas, sofrem em uma sociedade patriarcal. O machismo estrutural faz com que as meninas aprendam desde novas que precisam ser submissas e dispostas a realizar os desejos do homem, principalmente na cama.

Não à toa, muitas mulheres relatam que nunca tiveram um orgasmo, sentem medo de explorar seus desejos e tomar a iniciativa. São muitas as questões: medo de não se sentir valorizada, de afastar o parceiro, de parecer exigente demais.

Para a sexóloga Thais Plaza, Maria quebra tabus ao praticar e falar sobre sexo em um programa como o "BBB". "Ela desconstrói vários olhares do que se espera de uma mulher. Ela é empoderada, dona de si e dos seus desejos. Assume esse papel sabendo que corre risco de julgamentos, mas sabe fazer prevalecer suas vontades. Ela é livre e mostra que essa liberdade traz felicidade, leveza, diversão, e não uma conotação negativa", afirma.

Maria foi julgada por querer transar no
Maria foi julgada por querer transar no "BBB 22" (Foto: Reprodução/Globo)

De acordo com a especialista, que tem acompanhado o reality show da Globo, Maria é um exemplo, pois reforça que tomar a iniciativa no sexo tem a mesma importância que tomar a iniciativa em qualquer outra área da vida. "Quando uma mulher entende que tem desejos e prioriza isso, o fato de tomar iniciativa já é um movimento para que esses desejos sejam saciados. Assim, ela tem muito mais chances de ter uma vida sexual saudável", explica.

Sejamos todos! 11 passos para você ser um pai feminista

Outro ponto destacado por Plaza após a repercussão do sexo entre Maria e Eliezer é que o desejo sexual é natural para homens e mulheres. "Os desejos não são exclusivos para os homens ou mais presentes no universo masculino. Isso é uma construção social que nos leva a pensar dessa forma. As mulheres que conseguem romper essas barreiras, tornam-se mais poderosas, felizes e prontas para conquistar todo e qualquer prêmio", diz ela, que admira a sister e acredita no seu poder de influência.

"Desejo que a Maria incentive outras mulheres a se permitirem, experimentarem novas possibilidades, deixarem claro aquilo que elas desejam e buscam conquistar na vida afetiva e sexual. Que consigam ver que o sexo é uma excelente válvula de escape para ter prazer, ser feliz. Isso pode ser feito de forma leve, conversando sobre vários assuntos de sexualidade com a maior naturalidade. A Maria fala sobre os cabelos cacheados com a mesma naturalidade que fala sobre seus desejos e vontades", destaca.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos