Por que a crise de asma pode matar? Especialista explica

Fernanda Young (Foto: Reprodução/Instagram @fernandayoung)

A atriz e escritora Fernanda Young faleceu na madrugada do último domingo (25) após sofrer uma crise de asma seguida de parada cardíaca. Ela estava no sítio da família em Gonçalves, no interior de Minas Gerais.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Fernanda lidava com a doença desde a infância. De acordo com a médica pneumologista Marina Dornfeld, do Hospital Edmundo Vasconcelos, a asma é caracterizada pela inflamação crônica da via aérea e o principal sintoma é a dificuldade para respirar.

Leia também

O otorrinolaringologista Jamal Azzam explica que a crise de asma consiste na contração da musculatura que envolve os brônquios, o que diminui a ventilação do pulmão. Segundo relato de Rosário Gondim, amiga de Young que mora na cidade mineira, ela começou a sentir falta de ar no fim da tarde de sábado.

“Soube que, à noite, o quadro piorou e Fernanda tomou um remédio que fez com que o quadro melhorasse num primeiro momento. Horas depois, ela passou mal novamente, vomitou e acabou aspirando o vômito, o que foi fatal”, conta Rosário ao jornal O Globo.

Por que a crise de asma pode matar?

Segundo Azzam, uma crise grave pode, sim, causar a obstrução total da via respiratória e levar à parada cardíaca. O mal uso de medicamentos de alívio - como a “bombinha” e a inalação - em situações extremas também podem contribuir para o ataque do coração.

A bombinha, muito utilizada pelos asmáticos para o alívio do desconforto, é um broncodilatador derivado do hormônio adrenalina. Se usada em doses altas e em curtos intervalos de tempo, acelera os batimentos cardíacos e a pressão arterial.

Entretanto, o especialista indica que o vômito não é comum mesmo nos casos mais graves. No entanto, ele pode ter sido consequência da medicação ou do extremo mal estar causado pela crise de asma intensa. “Aspirar vômito é menos comum ainda, e acontece quando a pessoa está semi consciente. Talvez ela já estivesse com muita falta de ar e já com oxigênio baixo”, explica Azzam.

O que pode desencadear uma crise?

O otorrino lista os principais fatores que podem ser gatilhos para uma crise de asma: ácaros, fungos, pólen, animais de estimação, infecções virais e até questões emocionais. Dornfeld também explica que as crises de asma podem agravar no inverno: as temperaturas baixas e o tempo seco ligam o sinal de alerta para os asmáticos. Abaixo,

Como tratar a asma?

Em caso de crise grave, se o medicamento não resolver, é preciso buscar ajuda médica de imediato. A pneumologista enfatiza a necessidade de um tratamento adequado além do uso da “bombinha” em casos de crise. “O controle deve ser mantido com a menor quantidade possível de medicamento”, diz Marina Dornfeld.

A asma é hereditária e quem vive com a condição precisa de acompanhamento médico para ter mais qualidade de vida.

Relembre as criações de Fernanda Young na TV: