Por possível discurso de vitória, Serviço Secreto reforça segurança de Joe Biden

·1 minuto de leitura
Democratic presidential candidate former Vice President Joe Biden speaks Thursday, Nov. 5, 2020, in Wilmington, Del. Democratic vice presidential candidate Sen. Kamala Harris, D-Calif., stands at left. (AP Photo/Carolyn Kaster)
Joe Biden precisa alcançar o número de 270 delegados para ser eleito presidente dos Estados Unidos (Foto: AP Photo/Carolyn Kaster)

O Serviço Secreto, responsável pela segurança de presidentes dos Estados Unidos, vai reforçar a proteção ao candidato Joe Biden. A informação foi revelada pelo jornal The Washington Post.

Mais agentes do Serviço Secreto serão enviados para a cidade de Wilmington, em Delaware, onde more Biden. A preocupação é com a integridade do candidato democrata em um possível discurso de vitória.

Biden virou na Georgia e na Pensilvânia, além de liderar em Nevada. Os resultados são suficientes para que ele chegue ao número necessário de delegados. Dessa forma, o discurso de vitória poderia acontecer ainda nesta sexta-feira, 6.

Leia também

Segundo o The Washinton Post, o Serviço Secreto não quis comentar o reforço de segurança de Biden. Mas, é comum que a agência faça esse tipo de movimento quando fica mais evidente que um dos candidatos será o vencedor.

Até o momento, Biden tem 264 delegados, de acordo com a contagem da agência Associated Press, enquanto Trump tem 214. O candidato que alcançar primeiro os 270 delegados é eleito presidente dos Estados Unidos.

Na noite da última quinta-feira, 5, Donald Trump acusou as eleições de serem fraudadas, porque os resultados passaram a ser negativos para ele. O presidente não apresentou nenhuma prova e emissoras de televisão norte-americanas interromperam a transmissão discurso para evitar propagar mentiras.