Popular loja não-oficial da Xiaomi no Brasil desaparece sem entregar pedidos

Foto: Avishek Das/SOPA Images/LightRocket via Getty Images

Uma popular loja de produtos da Xiaomi no Brasil desapareceu sem deixar vestígios na última semana. Clientes da Mi Store Brasil, que não tinha relação direta com a empresa chinesa nem era sua representante no país, reclamam que pedidos feitos no ano passado ainda não foram entregues.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

INSTALE O APP DO YAHOO FINANÇAS (ANDROID / iOS)

O site mistorebrasil.com está fora do ar, assim como as páginas da loja no Facebook e no Instagram. Segundo clientes, ninguém atendo o telefone anteriormente disponível para SAC. A loja não responde mais queixas no Reclame Aqui desde julho de 2019.

Leia também

Ainda de acordo com comentários de clientes nas redes sociais, pedidos feitos antes e durante a Black Friday exibem até hoje o status de “aguardando o envio” pela transportadora. O número de novas queixas no Reclame Aqui disparou em novembro, chegando a 97 reclamações em dezembro.

O site Mi Store Brasil era gerenciado por uma importadora de produtos da Xiaomi que os revendia para todo o país pela internet, sem autorização ou contrato com a empresa chinesa. A loja oficial da Xiaomi no Brasil é mantida pela DL Eletrônicos.

Em novembro, a Secretaria Estadual da Fazenda e Planejamento de São Paulo (Sefaz-SP) apreendeu 30 mil produtos da Xiaomi na Black Friday. Os dispositivos vinham do Paraguai sem documentação e eram revendidos por empresas de fachada na internet.

A investigação começou quando o Sefaz-SP percebeu discrepâncias entre notas fiscais eletrônicas emitidas pelas vendedoras de produtos da Xiaomi e as respectivas declarações de importação.

\Para atender às exigências de marketplaces como Mercado Livre e outros, essas empresas criavam “laranjas” para continuar vendendo o estoque de celulares.

Um dos alvos da operação foi a representante oficial da Xiaomi no Brasil, segundo a Sefaz-SP, sem citar o nome. A DL Eletrônicos, porém, é a distribuidora formal de celulares da marca chinesa no país, responsável até pelas duas lojas físicas da marca em São Paulo, onde já foram encontrados produtos à venda sem homologação.

O logo da DL aparece em fotos dos produtos apreendidos. A empresa, porém, não quis comentar. O Sefaz-SP não informou se a loja não-oficial Mi Store Brasil teria sido também alvo da operação.