Polícia investiga morte de mulher após escova progressiva

Lidiane morreu dez dias após fazer uma escova progressiva em um salão em Ilha Solteira (Foto: Reprodução/TV TEM)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Médicos disseram à família que ela estava com muito formol no corpo

  • Ela foi internada sentindo queimação pelo corpo, irritação na pele e falta de ar

Foi aberto nesta terça-feira (17) um inquérito da Polícia Civil para investigar a morte de Lidiane Ferreira dos Santos após fazer uma escova progressiva em Ilha Solteira (SP).

Lidiane tinha 31 anos e fez o procedimento na sexta-feira (6). A família informa que ela começou a passar mal já na volta para casa, quando sentiu queimação pelo corpo, irritações na pele e falta de ar.

Leia também

Ela foi levada para o Hospital Regional de Ilha Solteira na quinta-feira (12), ainda com os mesmos sintomas. Lá foi internada, e os médicos disseram aos seus familiares que ela tinha muito formol no corpo.

Lidiane permaneceu internada na Unidade de Terapia Semi-intensiva do Hospital Regional até a última segunda-feira (16), quando sofreu uma parada cardiorrespiratória e morreu. Ela aguardava transferência para a Santa Casa de Araçatuba (SP), cidade a 180km de distância de Ilha Solteira.

O corpo dela foi levado até o Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Andradina, também no interior paulista, onde passou por um exame necroscópico. O atestado de óbito assinado no hospital indica parada cardiorrespiratória, alergia a produtos químicos, crise convulsiva e hipotensão como causas da morte.

O velório foi feito na manhã de terça-feira (17), e em seguida Lidiane foi enterrada no cemitério municipal.