Polícia indicia por lesão corporal trio que bateu em jovem gay

Roger ficou com cicatriz na cabeça. Foto: Arquivo Pessoal

A Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo informou ao blog, nesta segunda-feira (7), que a Polícia Civil indiciou os três homens que agrediram o jovem Roger Possebom Junior, de 22 anos, por lesão corporal com motivação homofóbica.

Porém, o advogado José Beraldo, que defende Roger, quer que os suspeitos respondam por tentativa de homicídio. “O delegado de polícia entende que é uma mera lesão corporal. Mas eu digo: eu quero a prisão desses covardes agressores que causaram vários traumatismos contra Roger”, disse.

O advogado enviou ao blog uma foto do ferimento na cabeça de Roger, que foi causado pelas agressões. “Veja a cicatriz, a marca da violência. [Ele ficou] uma semana em coma. Isso é racismo, é crime homofóbico. Quero cadeia aos agressores. [Isso foi] tentativa de homicídio. Eles têm que ser levados à júri popular”, afirmou Beraldo.

Leia também:

Roger e um amigo foram agredidos quando estavam na porta de uma balada no centro de São Bernardo do Campo. De acordo com o amigo da vítima, as agressões teriam acontecido pelo fato de Roger ser homossexual.

Segundo o relato dele, eles e os agressores tinham discutido dentro da casa noturna. Porém, quando os amigos estavam saindo do local e se encaminhando para o carro para irem embora, foram abordados pelos suspeitos.

Os agressores bateram nos dois e foram embora. O amigo da vítima teve apenas alguns ferimentos. Porém, Roger precisou ser socorrido pelos bombeiros para ser levado ao hospital. O estado dele era gravíssimo por conta de um ferimento no crânio.

Roger ficou em coma, mas acordou na última terça-feira. Ao acordar, ele gravou um vídeo na cama do hospital dizendo que queria voltar para casa e agradecendo a preocupação das pessoas.

Os suspeitos já foram identificados e o caso segue sendo investigado pelo 1º DP (Distrito Policial) de São Bernardo do Campo.