Polícia diz que Karol Eller começou briga e descarta homofobia

Câmeras mostram Karol alterada momentos antes da briga. (Foto: Reprodução/TV Globo)

A Polícia Civil do Rio de Janeiro apontou que foi a youtuber bolsonarista Karol Eller quem iniciou a briga que resultou nas agressões sofridas por ela. Imagens de câmeras do quiosque na praia da Barra da Tijuca, no Rio, afastam a possibilidade de crime de homofobia.

Testemunhas disseram aos investigadores que a discussão começou motivada por ciúme da namorada e não teria sido iniciada pelo autor da agressão, o auxiliar administrativo Alexandre da Silva. Karol Eller e sua companheira, a policial civil Suelen Santos, irão responder inquérito por denunciação caluniosa após ter mentido em depoimento, segundo a delegada responsável pelo caso, Adriana Belém. As informações são do portal G1.

Leia também

"O que não podemos admitir é que você utilize a delegacia, máquina administrativa do estado, chegue aqui e minta, utilizando de uma causa tão nobre, a vitória dos homossexuais e ela estava aqui banalizando isso e mentindo. Acho triste isso, é uma atitude criminosa e a gente não admite esse tipo de coisa", disse a delegada.

As imagens, de acordo com a polícia, revelam que Karol estava alterada enquanto conversava com um funcionário do quiosque, gesticulando e levantando a camisa.

Segundo a polícia, foi ela quem partiu para cima de Alexandre. (Foto: Reprodução/TV Globo)

Carlos Guilherme, amigo de Alexandre, tenta acalmar a youtuber, mas Karol parte para cima de Alexandre, que estava na ciclovia. De acordo com a polícia, Karol deu um soco e puxou Alexandre pela blusa. Em seguida, os dois caem no chão, e Alexandre a chuta por duas vezes.

Um funcionário do quiosque contou aos policiais que a youtuber estava armada e que tentou agredir Alexandre por diversas vezes. O trabalhador contou que Alexandre pediu para que ela largasse a arma e que, depois da briga, Karol deu socos na namorada, a policial civil Suelen dos Santos, dona da arma que estava com ela.

Depois da discussão com a namorada, Karol caiu e bateu com o rosto no chão, onde ficou inconsciente. A polícia vai investigar se as lesões no rosto de Karol podem ser sido causadas pela queda.

Karol Eller fez uma postagem confirmando as agressões e pedindo apoio a seus seguidores. (Foto: Reprodução)

O QUE DIZ KAROL?

A defesa de Karol afirmou que não houve agressão mútua.

“O que posso dizer é que não houve agressão mútua. As imagens das lesões que a Karol Eller sofreu pelo agressor falam por si. Não nos foi franqueado acesso ao inquérito policial depois dessa notícia que nos surpreendeu”, afirmou o advogado Rodrigo Assef.

Karol é funcionária da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e amiga do quarto filho do presidente Jair Bolsonaro, Jair Renan.