Polícia apaga dados do suspeito de ataque a Cristina Kirchner ao tentar desbloquear celular

Cristina Kirchner credit:Bang Showbiz
Cristina Kirchner credit:Bang Showbiz

A polícia argentina acidentalmente apagou dados do celular do suspeito do atentado contra Cristina Kirchner ao tentar desbloquear o aparelho.

Um cidadão brasileiro, identificado como Fernando Sabag Montiel, foi preso na última quinta-feira (1), suspeito de tentar assassinar a vice-presidente da Argentina.

Segundo informações de veículos de comunicação locais, o homem teria apontado uma arma de fogo contra a política, mas o revólver teria falhado antes do disparo.

Agora, segundo relatos compartilhados pelo jornal 'Clarín' e publicados pelo 'G1', dados do aparelho celular de Fernando foram apagados, pois o telefone voltou às configurações originais enquanto os oficiais que investigam o atentado se esforçavam para acessar o dispositivo.

Kirchner estava em frente à sua casa, em Buenos Aires, quando uma pessoa armada a abordou. Em seguida, seguranças encurralaram o homem, causando um grande alvoroço. Na ocasião, a ex-presidente da Argentina estava voltando de uma audiência no tribunal, onde enfrenta acusações de corrupção.

O atual presidente Alberto Fernández revelou que a arma estava carregada com cinco balas, mas não disparou quando acionada.

"Cristina está viva porque, por um motivo ainda não confirmado pela perícia técnica, a arma, que continha cinco balas, não disparou. Podemos discordar, podemos ter divergências profundas, mas o discurso de ódio não pode acontecer, porque gera violência e não há como a violência coexistir com democracia", afirmou o chefe de Estado.