Poeta da geração beat Lawrence Ferlinghetti morre aos 101 anos

Bill Trott
·1 minuto de leitura
Lawrence Ferlinghetti em sua livraria em San Francisco

Por Bill Trott

(Reuters) - O poeta e publisher Lawrence Ferlinghetti, cuja livraria City Lights, na cidade de San Francisco, se tornou um reduto literário na costa oeste dos EUA para escritores da chamada geração beat como Jack Kerouac e Allen Ginsberg, morreu aos 101 anos de idade, anunciou a City Lights nesta terça-feira.

Ferlinghetti, que desempenhou um papel-chave na luta por liberdade de expressão após publicar o poema "Uivo" de Ginsberg em 1956, morreu na noite de segunda-feira, afirmou a City Lights Books no Twitter, acrescentando "Nós te amamos, Lawrence".

Quando Ferlinghetti fez 100 anos, no dia 24 de março de 2019, as autoridades de San Francisco declaram o Dia de Lawrence Ferlinghetti. A City Lights fez uma festa, apesar do homenageado não comparecer devido a problemas de visão e dificuldades de locomoção.

Também no aniversário de 100 anos do escritor, a editora Doubleday publicou o romance experimental "Little Boy", que tem toques autobiográficos e é narrado em estilo de fluxo de consciência por Ferlinghetti.

A geração beat floresceu na Nova York dos anos 1950, mas Kerouac, Ginsberg, William S. Burroughs e uma série de outros escritores, artistas, hipsters, ativistas e caçadores de emoções eventualmente frequentaram a livraria no número 261 da Columbus Avenue em San Francisco para passar o tempo na City Lights.

"Eu sempre digo às pessoas que eu não era um membro original da geração beat", disse Ferlinghetti ao Los Angeles Times no ano de 2005. "Eu era como se fosse o cara cuidando da loja."