Pílula anticoncepcional pode afetar a capacidade das mulheres de ler emoções

Tomar a pílula contraceptiva pode dificultar a capacidade das mulheres de ler as emoções dos outros a partir das expressões faciais, sugeriu um novo estudo.

Os efeitos colaterais da pílula, que incluem possíveis consequências, como alterações de humor, náuseas, dores de cabeça e sensibilidade mamária, têm sido documentados há muito tempo.

O foco maior tem sido sobre o impacto que a pílula anticoncepcional pode ter sobre a saúde psíquica de seus usuários, um tópico que foi recentemente explorado em um documentário da BBC One.

Embora a conexão entre a pílula e os problemas de saúde psíquica tenha sido questionada nos últimos anos, pouco se sabe sobre como a forma oral de contracepção afeta a capacidade das mulheres de ler expressões faciais complexas.

Cientistas da Universidade de Greifswald, na Alemanha, realizaram um estudo com 95 mulheres saudáveis ​​com idade entre 18 e 35 anos para investigar o assunto, cujos resultados foram publicados na revista Frontiers in Neuroscience.

Embora o estudo tenha sido realizado com um pequeno grupo de participantes, os pesquisadores acreditam que suas descobertas podem ser úteis para futuras diretrizes de pílulas anticoncepcionais.

42 dos participantes afirmaram que tomam a pílula, enquanto os outros 53 disseram que não tomam.

Foram apresentadas ao grupo 37 fotos em preto e branco que mostravam a área ao redor dos olhos no rosto das pessoas.

Cada uma das fotos veio com quatro rótulos, cada qual descrevendo uma expressão emocional complexa diferente, como “orgulho” ou “desprezo”.

Três das expressões foram designadas como “distratores”, enquanto a outra foi o “alvo”.

As mulheres foram então solicitadas a escolher qual expressão eles achavam que melhor descrevia a imagem, pressionando um botão correspondente, o mais rápido possível.

De acordo com as descobertas do estudo, as mulheres que usavam a pílula eram menos propensas a decifrar corretamente as expressões faciais.

“Se os contraceptivos orais causassem prejuízos dramáticos no reconhecimento de emoções das mulheres, provavelmente teríamos notado isso em nossas interações cotidianas com nossos parceiros”, disse Alexander Lischke, autor sênior do estudo.

“Nós partimos do princípio que essas deficiências seriam muito sutis, indicando que tivemos que testar o reconhecimento de emoções das mulheres com uma tarefa que era sensível o suficiente para detectar tais deficiências.”

“Assim, usamos uma tarefa de reconhecimento de emoções muito desafiadora que exigia o reconhecimento de expressões emocionais complexas da região dos olhos dos rostos.”

“Considerando que os grupos eram igualmente bons em reconhecer expressões fáceis, os usuários de pílulas contraceptivas orais eram menos propensos a identificar corretamente expressões difíceis.”

O Dr. Lischke explica que, como a pílula afeta os níveis de estrogênio e progesterona das mulheres, faz sentido que ela também tenha um impacto sobre a capacidade de reconhecer emoções.

Ele acrescenta que, embora as conclusões do estudo sejam “claras”, mais pesquisas são necessárias para investigar se o efeito da pílula no reconhecimento de emoções das mulheres depende do tipo de pílula que estão tomando, por quanto tempo elas estão tomando e que hora do dia eles tomam.

“Se isso for verdade, devemos fornecer às mulheres informações mais detalhadas sobre as consequências do uso de contraceptivos orais”, diz ele.

Sabrina Barr

The Independent