Piloto de avião de Marília Mendonça tentou quatro contatos antes de acidente

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·4 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
A rescue worker carries a guitar as he leaves the wreckage of a small airplane that crashed with Brazilian country singer Marilia Mendonca on board, near a waterfall area in Piedade de Caratinga, state of Minas Gerais, Brazil, November 6, 2021. REUTERS/Washington Alves
A rescue worker carries a guitar as he leaves the wreckage of a small airplane that crashed with Brazilian country singer Marilia Mendonca on board, near a waterfall area in Piedade de Caratinga, state of Minas Gerais, Brazil, November 6, 2021. REUTERS/Washington Alves

Resumo da notícia

  • O piloto do avião de Marília Mendonça, Geraldo Martins, fez quatro contatos antes do acidente

  • Um piloto que sobrevoava a região ouviu o colega por uma frequência aberta

  • Marília Mendonça morreu na última sexta-feira (5) após um acidente em Minas Gerais

O piloto que estava no avião de Marília Mendonça, Geraldo Martins de Medeiros Júnior, fez quatro contatos por rádio antes do acidente fatal que matou as cinco pessoas da aeronave. De acordo com informação do jornal "O Globo", um outro piloto que sobrevoava a região de Caratinga, em Minas Gerais, ouviu o colega pela frequência local.

O condutor do monomotor que ouviu a transmissão afirmou que Geraldo repetiu duas vezes o termo "perna de vento", que significava o começo do procedimento de pouso.

Leia também:

"Ele disse que estava pegando a perna do vento, o que significa que estava iniciando o procedimento padrão de pouso. Isso não configura uma anormalidade, pois pilotos podem prolongar um pouco o tempo de pouso", explicou.

Cabo enrolado em hélice

A Polícia Civil de Caratinga (MG) encerrou, nesta segunda-feira (8), o recolhimento dos materiais periciais do avião em que viajava Marília Mendonça. Foi encontrado um cabo enrolado em uma das hélices da aeronave, mas ainda não se sabe se é o mesmo que se rompeu na torre de transmissão de energia da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).

A cantora, que tinha um show agendado na cidade, morreu no acidente, junto com mais quatro pessoas, na última sexta-feira (5).

"É fato de que tem um cabo enrolado na hélice. Agora, a gente só vai poder afirmar que esse cabo é o cabo que se rompeu quando a perícia tiver o laudo pericial", explicou o delegado regional da Polícia Civil de Caratinga, Ivan Lopes Sales, ao portal G1.

Segundo Sales, os destroços do avião serão encaminhados ao Rio de Janeiro na próxima terça-feira (9) para perícia da Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

Entenda o acidente

O avião no qual a cantora viajava de Goiânia para Minas Gerais, onde faria um show, caiu em uma cachoeira no município de Piedade de Caratinga (MG).

"O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais informa que nesta sexta (5), ocorreu a queda de uma aeronave de pequeno porte, modelo Beech Aircraft, na zona rural de Piedade de Caratinga. O CBMMG confirma que a aeronave transportava a cantora Marília Mendonça e que ela está entre as vítimas fatais", informou a nota. Inicialmente, a assessoria de imprensa da cantora confirmou o acidente e disse que a artista "estava bem".

Os cinco bombeiros que trabalharam no resgate tiveram dificuldade no resgate por conta das pedras escorregadias. É um região de mata e com cachoeiras. Segundo informação da equipe local de socorristas, o tanque de combustível teria vazado e se espalhado, mas levado pela correnteza sem chance de incêndio.

Cerca de três horas antes, Marília publicou um vídeo nas redes sociais mostrando seu embarque e falando sobre a culinária mineira. A cantora estava viajando pela "Turnê Todos os Cantos", projeto iniciado em 2019. Segundo a Rádio Caratinga, vazou combustível da aeronave.

Laudo da morte

A Polícia Civil fez uma coletiva de imprensa e relatou que as amostras do material genético de todas as vítimas do acidente aéreo que matou Marília Mendonça já estão no Instituto Médico Legal de Belo Horizonte. Os especialistas farão exames de alcoolemia e toxicologia para determinar as causas exatas das mortes. Além de Marília, morreram também Henrique Ribeiro, produtor da artista, Abicieli Silveira Dias Filho, tio e assessor da cantora, Geraldo Martins de Medeiros Júnior, piloto, e Tarciso Pessoa Viana, copiloto.

Os peritos afirmaram que os trabalhos periciais e de investigação já estão em andamento, mas que ainda aguardam alguns exames complementares. A Polícia precisa aguardar o laudo completo antes de divulgar as causas exatas das mortes. A previsão é que todo o inquérito seja concluído em cerca de 30 dias.

Marília Mendonça, 26 anos, morreu nesta sexta-feira (5) em um acidente aéreo. O avião no qual a cantora viajava de Goiânia para Minas Gerais, onde faria um show, caiu em uma cachoeira no município de Piedade de Caratinga. Além dela, todos que estavam juntos morreram. A sertaneja estava acompanhada do produtor, assessor, piloto e copiloto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos