PF faz buscas contra grupo que fez protesto em frente ao prédio do Supremo e pediu prisão dos ministros

Aguirre Talento
·1 minuto de leitura
Foto: Givaldo Barbosa / Agência O Globo

A Polícia Federal cumpre nesta sexta-feira busca e apreensão contra alvos suspeitos de ofensas e ataques a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Um dos alvos das buscas é Renan Silva Sena, ex-funcionário do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos suspeito de agredir enfermeiros durante uma manifestação em Brasília.

A investigação tramita na primeira instância da Justiça Federal do Distrito Federal, porque não envolve autoridades com foro privilegiado. O caso é complementar ao inquéritos sobre os atos antidemocráticos, que tramita no STF.

Segundo a PF, o inquérito teve início depois que dois alvos investigados publiaram um vídeo gravado na frente do prédio do STF, no qual solicitavam intervenção militar e afastamento e prisão de nove ministros do Supremo.

São cumpridos três mandados de busca em Brasília, Uberlândia (MG) e Taboão da Serra (SP). A PF também detectou indícios de que eles atuaram para arrecadar fundos para financiar os atos contra o STF.