Pessoas heterossexuais não existem - então por que metade dos homens bissexuais tem medo de sair do armário?

Um novo relatório da Stonewall descobriu que 49% dos homens bissexuais não se assumem com ninguém do trabalho – PA

A Stonewall publicou um relatório chamado LGBT in Britain – Work Report, apontando a descoberta de que uma em cada três pessoas LGBT teme revelar sua sexualidade ou identidade de gênero para os colegas de trabalho. Embora esse número seja chocante, o relatório revela que alguns dos maiores problemas são enfrentados por homens bissexuais.

De acordo com a pesquisa, 49% dos homens bi não se assumem com ninguém no trabalho, em comparação com sete por cento dos homens gays e quatro por cento das lésbicas.

A bissexualidade não é novidade, tendo sido documentada em obras de arte desde a Grécia Antiga e vista em quase toda parte do reino animal. Então, por que é tão difícil para um homem declarar abertamente que é bissexual em pleno 2018?

O que isso realmente significa é que a sociedade não entende bem os homens, em especial como funciona a sexualidade deles. Recentemente, pesquisadores da Cornell University concluíram que os homens nunca são 100% heterossexuais. Medindo a dilatação dos olhos quando expostos à pornografia solo de homens e mulheres, eles chegaram à conclusão de que não existem pessoas heterossexuais.

O conceito da sexualidade masculina, como um espectro, não é novidade. Em 2016, o YouGov descobriu que 43% das pessoas entre 18 e 24 anos, no Reino Unido, não se identificavam como totalmente homossexuais ou heterossexuais. Outro estudo, publicado pela Kinsey, sugere que cerca de 60% dos meninos pré-adolescentes se envolvem em algum tipo de atividade homossexual. E o YouPorn documentou que homens heterossexuais assistem pornô gay durante um quarto do tempo (seu histórico pornô não mente).

A primeira reação de muitos homens é a negação e a necessidade de reafirmar sua heterossexualidade. No entanto, a verdade é que descobertas como essas não devem ser vistas como um ataque aos homens. O importante é entender que existem diferentes tipos de homens que precisam de apoio em diversas áreas.

Essas descobertas obscurecem os limites que separam o que é ser heterossexual, bi ou gay. Quando percebemos que a sexualidade masculina é um espectro, vemos que alguns homens podem achar outro homem atraente, mas esse é o seu limite máximo, até aonde vão chegar. Alguns homens gostam de ficar nus na companhia de outros, mas seu limite é o toque. Alguns homens podem querer fazer sexo com outro homem, mas não sonham com um relacionamento. E alguns deles não acham as mulheres atraentes.

Historicamente, o problema é que, quando não se enquadra na última categoria de “não sentir atração por mulheres”, você arrisca a dizer que é hétero.


Pode ser que isso nunca vire manchete, mas o relatório da @stonewalluk revela que: quase 2 em cada 5 pessoas bissexuais (38%) não se assumem com ninguém no trabalho. Isso inclui METADE dos homens bissexuais (49%), seguido por um terço das mulheres bi (34%), em comparação com 7% dos homens homossexuais e 4% das lésbicas.

Na realidade, não tenho como provar, mas estou convencido de que perdi trabalhos/comissões/contatos por ser abertamente bissexual. Em um caso particular, depois que mencionei isso, foi a última vez que ouvir falar da pessoa.

Alguns podem se perguntar: se a bissexualidade é tão comum, por que só agora estamos falando nisso? Por onde ela esteve? É importante entender que a bissexualidade é invisível – não há imagens que retratem o que é ser bissexual. Por exemplo, quando ando pela rua de mãos dadas com a minha namorada, as pessoas presumem que eu seja hétero. Em contrapartida, há quatro anos, quando eu andava pela rua com meu namorado, as pessoas me viam como gay. Nós não entendemos a bissexualidade porque, apesar de a vermos todos os dias, ela aparenta ser gay ou hétero. Como resultado, quando os bissexuais encontram um parceiro e iniciam um relacionamento, eles ficam rotulados com a sexualidade dessa relação. Externamente, as pessoas os percebem como gays ou heterossexuais. Sua bissexualidade parece uma fase.

Infelizmente, isso significa que os bissexuais mais jovens, que começam a entender sua sexualidade, têm poucos modelos a observar.

Como um homem bissexual, acho que o caminho para entender a bissexualidade talvez seja o mais confuso de todos. Para os homens gays, é na puberdade que eles começam a perceber que não são heterossexuais. Quando os outros garotos começam a reparar e falar nas garotas das quais gostam, os jovens gays começam a questionar por que não sentem o mesmo. Eu não tive nada disso. Eu achava as garotas atraentes e queria conhecê-las melhor. Foi só quando cheguei aos 20 anos que percebi, ao refletir sobre o assunto, que havia homens na escola pelos quais eu também me atraíra – um sentimento que interpretei erroneamente como admiração e cobiça, na época. Os garotos que eu achava legais eram, na verdade, os garotos que eu queria beijar.

Tive sorte de me mudar para uma universidade em Londres, talvez o lugar mais blasé do planeta. Ninguém me conhecia e, com sete milhões de habitantes, eu não precisava ser uma pessoa consistente. Eu podia ir para casa com um homem que ninguém se daria conta. Tive a coragem e o espaço para explorar, para chegar à conclusão de que me sentia atraído por homens e mulheres.

Muitos não têm a mesma sorte. Na cultura em que vivemos, os homens não são encorajados a explorar sua sexualidade. Na verdade, qualquer sinal de que você não seja 100% hétero é visto como uma fraqueza. Muitos homens bissexuais com quem conversei, ao longo dos anos, resistiam à ideia de sair do armário com medo de que isso os tornasse menos atraentes para as mulheres. Então, é alguma surpresa que metade dos homens bissexuais não se assumam com seus colegas de trabalho?

A tendência é ainda mais profunda. Um estudo de 2014 sobre as tendências sociais da Pew Research descobriu que apenas 12% dos homens bissexuais saem do armário em comparação com 77% dos homens gays. Isso significa que quase 90% dos homens bissexuais estão no armário.

Existem várias razões pelas quais tantos homens achem que precisam manter sua sexualidade privada. Um fator é que a maioria dos homens bissexuais terminam com mulheres. Na verdade, 84% dos auto-identificados bissexuais em relacionamentos sérios, têm um parceiro do sexo oposto, enquanto apenas 9% estão em relacionamentos com uma pessoa de mesmo sexo, de acordo com a Pew Research. Embora alguns possam achar que essas descobertas indiquem uma clara preferência, em grande parte, sua causa pode ser entendida como o resultado de haver muito mais pessoas heterossexuais no mundo do que gays. Um relacionamento com o sexo oposto simplesmente tem mais chances de acontecer.

Na cultura em que vivemos, os homens não são encorajados a explorar sua sexualidade.

Para alguns homens bissexuais, sair do armário parece muito trabalhoso – eles provavelmente acabarão em um relacionamento heteronormativo. No entanto, existem consequências para a saúde mental. Cerca de um terço dos bissexuais relata altos níveis de ansiedade, eles têm 40% mais chances de se descreverem como infelizes e se sentirem menos valiosos do que os heterossexuais, gays e lésbicas, de acordo com o Office for National Statistics.

Portanto, embora alguns homens possam se sentir desconfortáveis ao confrontar essas atrações, para o bem de sua saúde mental, é importante viver da maneira mais honesta possível.

As descobertas da Stonewall provam que há muito trabalho a ser feito para entender e apoiar os homens bissexuais. Precisamos começar a nos concentrar nos aspectos positivos dos bissexuais. Por exemplo, um estudo australiano da Escola de Saúde e Desenvolvimento Social, descobriu que “as mulheres em relacionamentos com homens bissexuais dizem que seus parceiros são melhores amantes e pais do que os homens heterossexuais”. Os pesquisadores concluíram que isso acontecia porque os homens bissexuais eram mais abertos a projetar um relacionamento que funcionasse para as mulheres, ao contrário de um homem hétero, que teria certas suposições acerca de como o relacionamento deve funcionar.

Ser bissexual é normal. Os homens podem estar acostumados a ter que aparentar determinada forma para serem percebidos como fortes, mas sua sexualidade não é mais negociável do que a cor de sua pele. Quer você veja ou não, os homens bissexuais estão por toda parte.

Lewis Oakley

The Telegraph