Pessoas com sobrepeso são mais propensas à felicidade do que as magras, revela estudo

Getty Images

Segundo um estudo, as pessoas com excesso de peso são mais propensas à felicidade.

Os quilinhos a mais geralmente são associados a uma série de riscos para a saúde, incluindo doenças cardíacas, diabetes e aumento das chances de se sofrer um AVC.

No entanto, um novo estudo descobriu que as pessoas que são classificadas como gordas podem levar vidas mais felizes.

A pesquisa, publicada no International Journal of Epidemiology, foi conduzida por um grupo de cientistas da Universidade de Bristol, liderado por Louise Millard e George Davey Smith.

O grupo decidiu analisar como poderiam usar o PHESANT (PHEnome Scan ANALysis Tool) para realizar exames automatizados de fenômenos no UK Biobank.

O UK Biobank é um banco de dados que contém os dados genéticos de 500 mil homens e mulheres no Reino Unido, em idades entre 37 e 73 anos.

Durante a investigação, eles chegaram a muitas conclusões amplamente conhecidas sobre a conexão entre o IMC de uma pessoa e sua saúde.

Entres eles, o fato de que as pessoas com IMC maior são mais propensas a ter uma pressão arterial mais alta, sofrer de diabetes e entrar mais cedo na puberdade.

No entanto, para a surpresa de todos, eles também descobriram que as pessoas com excesso de peso geralmente têm um estado de espírito mais calmo.

Em relação às descobertas, os pesquisadores declararam: “Também detectamos várias associações, potencialmente causais, que anteriormente eram desconhecidas.”

“Por exemplo, os participantes com propensão genética a um IMC mais elevado tiveram menor probabilidade de se perceberem como uma pessoa nervosa ou de se considerarem tensos ou ‘altamente sensíveis’.”

Dasha Nicholls, chefe do departamento de transtornos alimentares do Royal College of Psychiatrists, explicou como os padrões alimentares de uma pessoa podem afetar seu estado mental.

Sabrina Barr

The Independent