Saúde mental compartilhada: 60% dos brasileiros discutem assunto nas redes sociais

A beautiful black woman lies on her stomach on a bed and strikes a pose as she takes a selfie on her mobile phone. Space for copy.
Cerca de 60% dos brasileiros falam de saúde mental em plataformas digitais (foto ilustrativa: Getty Images)

Resumo da Notícia:

  • Saúde mental é um tema em pauta nas redes sociais

  • Pesquisa encomendada pelo TikTok trás dados sobre o tema no Brasil

  • Cerca de 72% dizem que buscariam um profissional especializado no tema

Com a chegada da pandemia de Covid-19 e a necessidade de isolamento social, fomos convidados a conviver conosco e, novamente, em comunidade. Com isso, nos últimos dois anos, o tema saúde mental nunca esteve tão no nosso dia a dia, principalmente pelas redes sociais.

É o que aponta uma pesquisa realizada pela YouGov sob encomenda do TikTok. O resultado diz que ao menos 60% dos brasileiros usam plataformas digitais para falar sobre saúde mental. Divulgada nesta segunda-feira (10), com exclusividade pelo Yahoo, ela mostra que as pessoas se sentem confortáveis para falar sobre o tema em plataformas digitais ou em uma comunidade online.

Feita pela YouGov Plc UK com 800.000 pessoas, por e-mail, o estudo mostra que mesmo confortáveis para falar sobre saúde e bem-estar mental, 87% preferem falar com amigos e 82%, com familiares. Mas quase metade dos brasileiros temem os julgados.

“Por isso, quando perguntados a quem recorreriam caso precisassem de ajuda, 72% responderam que buscariam por um psicólogo ou profissional especializado em saúde mental”, diz o comunicado emitido pelo TikTok Brasil.

A plataforma, uma das mais usadas no Brasil e em constante crescimento, busca garantir o bem-estar mental da comunidade e acabar com o estigma que envolve esse tema. “Estamos sempre trabalhando para criar um ambiente acolhedor e oferecer a melhor experiência a todos, além de aprimorar as ferramentas que possuímos para garantir o bem-estar geral. Mas não nos restringimos apenas aos nossos usuários, queremos fortalecer a atuação de organizações que trabalham com saúde mental, por meio de doações, e construir campanhas educativas sobre esta questão", avaliou.

No ambiente de trabalho, mais de 55% dos entrevistados têm medo de falar sobre seu estado mental. O receio é de que isso afete negativamente futuras perspectivas de emprego. Em contrapartida, mais de um terço (39%) acredita que conversar sobre o bem-estar e saúde mental em um meio corporativo não deve ser motivo para receio e não traz resultados negativos.

Millennials online e saúde mental

Quando os dados são refinados para pessoas de 25 a 34 anos, os Millennials, 41% celebram o fato de ter o acesso a ferramentas em suas plataformas digitais favoritas, capazes de ajudar no bem-estar da saúde mental.

Além disso, 26% dos millenials brasileiros se sentiriam mais à vontade para falar sobre bem-estar mental se vissem alguém falando de maneira aberta sobre o tema em alguma comunidade em plataformas digitais.

Saúde mental no TikTok

No TikTok, plataforma da ByteDance, são oferecidos conteúdos originais em campanhas sobre o assunto. Para tal, eles possuem uma parceria com o Instituto Vita Alere de Prevenção e Posvenção do Suicídio.

A psicóloga Karen Scavacini, CEO do Instituto Vita Alere, avalia que se mais da metade dos brasileiros conversam online sobre seu bem-estar mental, as plataformas precisam ter a responsabilidade de ser um espaço seguro diante de suas dificuldades e ajudar suas comunidades a se sentirem acolhidas. "Quando desabafamos online, buscar alguém ou uma comunidade que possa nos ajudar sem necessariamente criar um vínculo físico com uma pessoa. É uma válvula de escape que ajuda, principalmente os jovens, a entender a situação que estão vivendo", completou.