"Perdemos nosso neném para o descaso", diz irmã de rapaz com Down morto por coronavírus

Colaboradores Yahoo Notícias
·2 minuto de leitura
Enfermeiro abraçou paciente com síndrome de down em foto que viralizou nas redes sociais

A morte de Emerson Loureiro, paciente com Down que protagonizou uma foto emocionante nas redes sociais ao ser abraçado pelo enfermeiro Raimundo Nogueira Matos, indignou a família do rapaz, mais uma vítima do novo coronavírus no Amazonas, que reclama do descaso do poder público em relação ao colapso do sistema de saúde do estado.

“Estamos sofrendo muito, não consigo aceitar que perdemos nosso neném para esse descaso”, disse Eliane Loureiro, irmã de Emerson, em entrevista ao portal UOL. “Senhores autoridades do estado do Amazonas, diante de tantas fatalidades que vêm acontecendo em nosso estado, será que os senhores ainda não pararam para pensar, planejar em montar algumas UTIs nos municípios do estado para auxiliar na recuperação dos pacientes com Covid-19? Dinheiro pra isso tem. Ou será que os munícipes não têm direito a este tratamento?”, complementou.

Leia também

Internado em leito de cuidados intermediários em Manacapuru (a 100 km de Manaus), o paciente aguardava uma ambulância para levá-lo à capital do estado onde iria, finalmente, ter acesso a um leito de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Entretanto, ele morreu na manhã de quinta-feira (28).

A irmã de Emerson publicou uma nota em suas redes sociais em tom de repúdio pela morte dele sem a assistência devida.

“Nosso povo está se acabando, está morrendo, e os senhores têm que tomar uma atitude para que o povo do interior seja atendido de forma humana. O povo não pode ser tratado com desigualdade! Se já não bastasse a logística de transporte que tem que ser enfrentada para chegar à capital —que muitas vezes são precárias—, tratem de olhar pelo povo do interior, pois tal situação já está fora dos limites”, desabafou.

Ao UOL, Eliane contou que está isolada porque contraiu o novo coronavírus ao cuidar do irmão nos hospitais por onde passou. Com febre, mas tratando em casa a doença, ela externou sua indignação.

"Queria que esse apelo chegasse aos governantes —vereadores, prefeitos, deputados, governador: que olhem mais para o interior do Amazonas, invistam, coloquem profissionais de saúde para atender a população", afirmou. "Aqui estamos sem equipamentos de sobrevivência, já deveria ter uma UTI aqui em Manacapuru também."