Anitta diz ter "cistite de lua de mel " após relação sexual: pênis avantajado pode causar infecções?

·3 min de leitura

A cantora Anitta participou na última quarta-feira (17), do programa "Salada Sato", da apresentadora Sabrina Sato, e surpreendeu os internautas ao revelar que, às vezes, sofre com “cistite de lua de mel” após o sexo.

A artista disse que sofre com a condição sempre que tem relação sexual com homens de pênis grande. “Não posso transar com alguém mais avantajado que não consigo caminhar no dia seguinte”, contou rindo. “É horrível e não tem nada a ver com bactéria, não é infecção bacteriana não, gente, é porque socou muito lá e inflamou”, disse.

Embora a cantora tenha usado o termo para falar de uma crise de infecção urinária depois de uma transa, “cistite de lua de mel” não é usado pelos médicos e a doença não tem qualquer relação com o tamanho do órgão sexual masculino. “Independe disso. É preciso ver se tem um encaixe pequeno da vagina e do órgão. Pode até machucar um pouco e causar incômodo na relação sexual, mas associar essa relação é um mito”, destaca Lilian Fiorelli, uroginecologista e especialista em sexualidade feminina pela USP (Universidade de São Paulo).

A cistite é uma inflamação na bexiga e geralmente está associada a uma infecção. É mais comum as mulheres terem o problema, devido a condições hormonais e anatomia da vagina. “A uretra da mulher é mais curta e por isso a bactéria precisa percorrer até a bexiga para causar a infecção, tendo proximidade com a região genital e anal”, ressalta a uroginecologista.

Elasticidade

Alexandre Luiz Seo, ginecologia e obstetrícia da Vibe Saúde e pela Faculdade Medicina do ABC, explica que a vagina é um órgão com grande elasticidade, permitindo acomodar um pênis de maior tamanho.

Vale ressaltar que, no entanto, a parede anterior da vagina, devido sua proximidade com a bexiga e uretra, estando em fricção com o pênis, pode gerar microlesões, aumentando o risco de infecção quando em contato com as bactérias causadoras da cistite.

Sintomas da doença

  • Queimação ao urinar

  • Dor pélvica

  • Aumento da frequência urinária

  • Micções em pequenas quantidades

  • Dificuldades para iniciar a micção

  • Sensação de esvaziamento incompleto da bexiga

Quais são as causas?

Na maioria das vezes é provocada por bactérias intestinais.

Além disso, alterações hormonais ao longo do ciclo menstrual, gravidez e menopausa também estão associadas. “São períodos que favorecem a secura vaginal e a uretra fica mais aberta e suscetível a infecções”, diz Fiorelli. Pode também ter relação com candidíase, HPV, queda de imunidade e até estresse emocional.

Isso pode ocorrer mais de uma vez, indicando sinal de alerta para origem e tratamento. Quando ocorrem mais de três episódios de cistite em um ano, o quadro é chamado de cistite de repetição. Por isso, é indispensável procurar um ginecologista ou uroginecologista para investigar as causas e fazer um tratamento preventivo.

Fazer xixi depois da relação sexual é essencial

Antes de iniciar o tratamento é possível realizar ações preventivas contra a doença. É aconselhado sempre após a relação sexual fazer xixi. Dessa forma, a mulher evitará infecções de repetição e dor ao longo de muitos dias.

É necessário também suspender o uso de camisinha com latex na composição, principalmente se a mulher tiver alergia. Vale lembrar que o uso de preservativo é fundamental para controle de ISTs, mas é importante checar a composição do material.

Por último, caso faça uso constante de antibióticos ou outros suplementos, é necessário investigar se há alguma relação no uso desses medicamentos nas crises de repetição.

Ao ser diagnosticada com a doença, o tratamento deve ser individualizado e pode ser feito com medicação analgésica e antibiótico adequado.

Beber bastante líquido também ajuda a aumentar o volume urinário, evitando acúmulo de urina na bexiga, e assim, não permitindo a proliferação da bactéria.

“Como forma preventiva, manter higiene pessoal do casal, beber bastante líquido, evitar acumular urina na bexiga (urinar sempre que tiver desejo), utilizar contraceptivos de barreira (ex: preservativo), urinar e lavar a região genital após o ato sexual”, conclui Seo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos