Penelope Cruz e Winona Ryder defendem Johnny Depp em processo contra Amber Heard

*ARQUIVO* Rio de Janeiro, RJ, BRASIL, 24.09.2015; Show da banda Hollyhood Vampires, tem Johnny Depp na guitarra. (Foto: Ricardo Borges/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Penélope Cruz, 45, e Winona Ryder, 48, apresentaram declarações nas quais apoiam Johnny Depp, 56, no processo por difamação contra a atriz Amber Heard, 33. O ator acionou a Justiça após sua ex-mulher ter escrito um artigo para o o Washington Post, em dezembro de 2018, intitulado "Falei contra a violência sexual -- e enfrentei a Ira da nossa cultura. Isso tem que mudar", no qual se colocou como vítima de abuso doméstico.

"Estou ciente das alegações de violência que foram feitas publicamente nos últimos anos pela ex-mulher de Johnny Depp, Amber Heard. Não quero chamar ninguém de mentiroso, mas pela minha experiência com Johnny, é impossível acreditar que tais alegações horríveis sejam verdadeiras. Acho extremamente perturbador conhecendo-o como eu o conheço", disse Ryder, que se relacionou com o ator entre 1990 e 1993, em documentos obtidos pela People.

Esta não foi a primeira vez que a artista defendeu o ex-namorado. Em 2016, ela disse a Time, que Depp nunca foi abusivo durante o tempo em que estiveram juntos. "Eu o conheço apenas como um cara muito bom, amoroso e carinhoso, que é muito, muito protetor com as pessoas que ele ama", disse ela à época.

Cruz fez coro ao discurso da colega e em documento ao qual o portal de notícias The Blast teve acesso, afirmou nunca ter presenciado comportamento violento vindo de Depp, a quem conheceu aos 19 anos.

"Muitos anos se passaram e eu não só fiz três filmes com ele, como também conto como um grande amigo. Eu sempre me impressionei com sua gentileza, sua mente brilhante, seu talento e seu senso de humor peculiar", disse a atriz espanhola.

Ela destacou ainda ter passado seis meses de sua primeira gravidez trabalhando com Depp no longa Piratas do Caribe, afirmando que nunca esquecerá a forma doce e gentil como foi tratada pelo ator durante essa fase. Heard não se manifestou até a publicação do conteúdo.

Heard e Depp se conheceram na pré-produção do longa "Diário de Um Jornalista Bêbado" e se casaram em 2015. Em maio de 2016, ela entrou com uma ordem de restrição contra o ator, acusando-o de agredi-la. Depp negou tudo e o ex-casal chegou a um acordo em agosto de 2016, no qual ele pagou US $ 7 milhões à atriz, que doou a quantia para a caridade. Eles assinaram documentos que os impede de discutir publicamente seu relacionamento.