Pedro Cardoso alega ter sido excluído de série criada por ele: 'Roubo'

***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, BRASIL 16.09.2019 - Pedro Cardoso (ator).  (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, BRASIL 16.09.2019 - Pedro Cardoso (ator). (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O ator Pedro Cardoso resolveu fazer uma denúncia contra os produtores e funcionários da WarnerMedia por conta da série "Área de Serviço". Em um vídeo publicado no Instagram, ele contou que a produção escrita em parceria com a mulher, a atriz Graziella Moretto, para a plataforma de streaming HBO Max foi "assassinada" e que a dupla ainda teve "a liderança da autoria roubada pela Dueto Produções. "Graziella e eu nos tornamos empregados do trabalho que nós tínhamos feito. Já não é isso um roubo?", começou o artista no desabafo. Pedro ainda acusa

Monique Grandenberg, sócia da coprodutora da série, de excluí-lo do projeto e assumir a posição de diretora-geral após uma negociação que teria sido secreta com a WarnerMedia. O ator reclama também que o casal virou meros atores na produção. "É um crime que esse projeto tenha sido destruído. Um crime contra Graziella e contra mim, mas também um crime contra o interesse público", afirmou o ator que interpretou o personagem Agostinho em "A Grande Família", na Globo, por 13 anos (2001 a 2014).

"Área de Serviço" é uma série apresentada como satirizar as diferenças sociais. Nela, Jacinto, brasileiro criado em Portugal, volta ao país e se hospeda na mansão de uma tia. Lá, ele vive situações inusitadas no imóvel com as pessoas que vivem e trabalham no imóvel. Cardoso descreve a produção como "um projeto em defesa da democracia e uma denúncia das razões maiores do eterno fascismo brasileiro".

Após o vídeo de Pedro Cardoso, Monique Gardenberg respondeu as acusações em uma nota. "Foi o carinho que tínhamos por Pedro e Graziella que nos fez abraçar a série. Em 40 anos de história, a Dueto construiu uma trajetória de sucesso, credibilidade e respeito e jamais se envolveu em qualquer litígio. Pelo nível de agressão e desrespeito conosco e membros da equipe, não nos manifestaremos publicamente. Nossa manifestação se dará na instância judicial, onde Pedro terá oportunidade de expor suas alegações", diz o comunicado.

A HBO Max também respondeu às acusações. "A HBO Max informa que todas as produções e parcerias com as produtoras brasileiras são realizadas em comum acordo com todas as partes envolvidas, respeitando e cumprindo as exigências legais. Valorizamos e cultivamos relações de confiança com nossos talentos, criadores e colaboradores, e o cumprimento dos requisitos legais entre todas as partes envolvidas em nossas produções. Cabe ressaltar que a companhia não comenta sobre assuntos internos de seus colaboradores e talentos, assim como estratégias de lançamento", reconhece a plataforma no comunicado.