"Paulo Gustavo virou um mártir, não aguentamos mais", se emociona Fábio Porchat

Em depoimento para o 'Jornal 18', da Globonews, Fábio Porchat se emocionou e falou em tom de revolta sobre a morte do amigo Paulo Gustavo. Paulo morreu nesta semana após passar dois meses internado com um caso grave da Covid-19.

Em sua fala, Fábio explicou que a morte de Paulo simboliza a dualidade de dois países: o da esperança, da superação, e o da tragédia e do descaso governamental.

Leia também

"O Paulo Gustavo representa 2 países: o primeiro é o Brasil que qeuremos, de quem vem do nada e por sua luta consegue tudo que quer, juntando gente, transbordando coisa boa. Esse é o Brasil que queremos e nos lembramos. Mas a morte do Paulo Gustavo nos lembra de um Brasil que não aguentamos mais, no qual a tragédia se normalizou. O Brasil de pessoas que negam coisas que são comprovadas, de gente que não está nem aí e não tem vergonha disso. Esse Brasil o Paulo não aguentava mais", disparou.

Porchat afirmou que Paulo se tornou um mártir, e que a população brasileira aguarda por justiça com o início da CPI da Covid-19.

"A morte dele acontece no momento da CPI da Covid, ele virou um mártir pra mim. O Brasil todo chora a morte do Paulo porque ele é um talento, porque foi uma tragédia, mas porque as pessoas não aguentam mais. 420 mil famílias não aguentam mais, as pessoas não conseguem mais suportar o peso da incompetência, da ignorância e do descaso", completou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos