“Amar é cuidar, respeitar como o outro é”, diz Patricia Marx para a mulher

·1 minuto de leitura
Patricia Marx e a mulher, Renata Pedreira (foto: reprodução / instagram @patriciamarxoficial)
Patricia Marx e a mulher, Renata Pedreira (foto: reprodução / instagram @patriciamarxoficial)

A amor atravessa o tempo e cabe em todas as pessoas. E é isso que Patricia Marx, a cantora que se tornou uma musa dos anos 90, quis ressaltar na publicação que fez em homenagem à mulher, Renata Pedreira, em suas redes sociais.

“Amar é cuidar, respeitar como o outro é, é ceder um pouco, dividir outro pouco, fazer coisas juntxs, separadxs também, porque dá saudades… e eu amo muito tudo isso com você, meu amor. Isso e muito mais! Sempre mais!", escreveu a cantora na legenda do clique.

Leia também:

A cantora precisou vencer o medo da rejeição do público que a acompanha a tanto tempo quando revelou sua orientação sexual e sua relação com a mulher. “Até minha vida sexual acabou se tornando uma grande ruptura com todo esse universo machista. Finalmente tive a coragem de me assumir lésbica”, disse em conversa recente com a “Quem”.

A artista ainda contou que já teve relações com homens, mas por imposição social. “Tinha interesse em mulheres desde a adolescência, mas reprimia isso porque fui educada em uma época homofóbica que fazia das lésbicas uma chacota. Eu tinha medo. Eu mesmo era homofóbica. Lutava contra mim, me agredia, não gostava de mim mesma, achava que era errado e feio... Eu vivi essa coisa esquisita de me reprimir. Me sentia incompleta e com um vazio mesmo tendo uma carreira, um filho e uma casa. Depois de muitos anos de análise, me permiti experimentar e ver se aquilo era um desejo real. Mudei a minha cabeça e a minha vida. Nunca estive tão liberta”, afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos