Patrícia Abravanel defende vídeo homofóbico: "Os 'LGBTHY' precisam respeitar"

Resumo da notícia:

  • Patrícia Abravanel se pronunciou a respeito da polêmica envolvendo Caio Castro e Rafa Kalimann

  • O ator e a influenciadora digital compartilharam um vídeo homofóbico de um pastor

  • Patrícia defendeu o direito do público conservador de ser "compreendido"

Patrícia Abravanel causou polêmica nesta terça-feira (01) ao decidir comentar o caso envolvendo Rafa Kalimann e Caio Castro. A influenciadora digital e o ator compartilharam um vídeo homofóbico de um pastor no Instagram no qual ele reprova o casamento homoafetivo, e foram bombardeados nas redes sociais pelo teor preconceituoso da postagem.

Patrícia defendeu Caio e Rafa e afirmou que o público LGBTQI+ precisa aceitar posturas preconceituosas, que a apresentadora definiu apenas como "conservadoras".

Leia também:

"Eu acredito que nós, mais velhos, e nós que fomos educados por pais mais conservadores, a gente está aprendendo, a gente está se abrindo, mas eu acho que é um direito também das pessoas respeitarem. Por que não concordar em discordar?. Não acho que o Caio e a Rafa sejam homofóbicos, eles realmente foram educados de uma outra maneira", argumentou.

Patrícia também não pronunciou corretamente a sigla LGBTQI+, e afirmou que é preciso ter calma ao ensinar o público. Então, assim como 'LGDBTYH', não sei, querem respeito, eu acredito que eles tem que ser mais compreensivos com aqueles que hoje ainda não entendem direito e estão se abrindo pra isso".

Vale lembrar que o Brasil é o país que mais mata o público LGBTQI+ no mundo: dados divulgados pelo Grupo Gay da Bahia mostram que em 2020 foram 1 morte a cada 26 horas.