Páscoa: empresas apostam em brindes para atrair consumidor

Redação Finanças
·2 minuto de leitura
(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Para driblar a crise gerada pela Covid-19 e atrair os consumidores, as grandes fabricantes de chocolates estão buscando outros atrativos como brindes e presentes para movimentar a Páscoa, que acontece no dia 4 de abril. Para 2021, empresas como a Cacau Show, Americanas e Lacta estão investindo em linhas especiais com brindes e material licenciado de grandes marcas

A Cacau Show lançou uma linha especial de ovos da NBA, a liga norte-americana profissional de basquetebol. Já a Americanas decidiu apostar nos gamers, com um ovo da marca PlayStation, com direito a pop socket e uma caneca exclusiva inspirada nos elementos da marca.

Leia também:

A Lacta, uma das maiores do setor, lançou ovos de Páscoa Lacta inspirados em Batman e Mulher-Maravilha, em opções de 166 gramas e cada um traz um tipo de brinde diferente inspirado nos heróis da DC. Enquanto o ovo do Batman traz um boneco colecionável do protagonista, a edição da Mulher-Maravilha traz uma Clutch inspirada na roupa da personagem.

Adaptações

Em 2020, o comércio teve queda de 33% nas vendas de Páscoa em comparação com 2019, segundo um levantamento da Boa Vista. Para este ano, a ABICAB (Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas) prevê 11.665 contratações temporárias diretas e indiretas de profissionais que atuarão nas linhas de produção ou nos pontos de venda, um crescimento de 4,8% em relação ao ano passado.

 Outro ponto que diferencia este ano pandêmico dos demais é a diversificação dos canais de venda. "Em 2020, o e-commerce e o varejo foram grandes aliados das indústrias. Com isso, acreditamos que as vendas online e parceria com os varejistas se manterão fortes neste e nos próximos anos. Temos enxergado um crescimento significativo nos canais digitais e um aumento de confiabilidade do consumidor em compras pela internet”, afirma Ubiracy Fonsêca, presidente da ABICAB.

No ano passado, a indústria de chocolates foi prejudicada pelo fechamento do comércio em março, afetando as vendas de ovos de Páscoa. Lojas especializadas em chocolate tiveram que fechar as portas e vender apenas nos canais digitais. As vendas físicas ficaram quase que restritas aos supermercados.

As empresas também estão acompanhando os processos de restrição em cada região do Brasil para ajustarem o planejamento de acordo com o cenário, atendendo, assim, a demanda do mercado de maneira segura e responsável.