Cotado para o Lolla Brasil, Paramore lança single após 5 anos de pausa

Cotado para o Lolla Brasil, Paramore lança single após 5 anos de pausa

O Paramore está de volta! Após cinco anos de hiatus, a banda norte-americana lançou, nesta quarta-feira (28), o single "This is Why", primeira música do sexto álbum do grupo, que leva o mesmo nome. A canção veio acompanhada de um clipe inédito, e encerra a maior pausa deles até então.

O álbum será o sucessor do "After Laughter", de 2017, e está previsto para ser lançado nas plataformas de streaming em 10 de fevereiro de 2023. Gravado em Los Angeles, na Califórnia, o trabalho conta com a colaboração de Carlos de la Garza, parceiro de longa data de Hayley Williams, Zac Farro e Taylor York.

Turnê e possível vinda ao Brasil

Agora, o Paramore está se preparando para retornar aos palcos. A banda norte-americana fará uma série de apresentações ao vivo pela América do Norte nos próximos meses, começando por Bakersfield, na Califórnia.

Em novembro, eles serão um dos headliners do festival Corona Capital, que acontece na Cidade do México. A expectativa é que eles também sejam um dos destaques do lineup do Lollapalooza Brasil em 2023.

O jornalista José Norberto Flesch, conhecido por dar informações privilegiadas sobre shows, confirmou que a banda voltará ao país no ano que vem. A última vinda do Paramore ao Brasil aconteceu em 2014, no festival Circuito Banco do Brasil. Antes disso, eles vieram em 2008, 2011 e 2013.

Novo single

O grupo estava fazendo mistério há algumas semanas sobre as novidades para este ano. Eles chegaram a mudar o layout do site oficial, e foram revelando aos poucos pedaços do novo trabalho, que foi lançado hoje no YouTube. No clipe, Hayley, Zac e Taylor lidam com um isolamento, com uma referência clara ao período de pandemia.

“This Is Why foi a última música que escrevemos para o álbum. Para ser honesta, eu estava cansada de escrever letras, mas Taylor convenceu a mim e a Zac que deveríamos trabalhar nessa última ideia", revelou Williams em comunicado à imprensa.

"Ele resume a infinidade de emoções, a montanha-russa de se estar vivo em 2022, tendo sobrevivido nem que sejam apenas os últimos 3 ou 4 anos. Você pensaria que depois de uma pandemia global de proporções bíblicas e a destruição iminente de um planeta moribundo, que os humanos teriam achado dentro de si mesmos um modo de viver de mais gentil ou mais empático ou algo assim.”