Para Jodie Foster, filmes de super-heróis estão prejudicando o cinema

Jodie Foster dirige cena de ‘Jogo do Dinheiro’ (Imagem: divulgação Sony)

Duas vezes vencedora do Oscar de melhor atriz (por ‘Os Acusados’ e ‘O Silêncio dos Inocentes’), Jodie Foster verbalizou sua insatisfação com o atual estado da produção cinematográfica em Hollywood, dominada por adaptações de histórias em quadrinhos.

“Ir ao cinema atualmente se tornou uma experiência como ir a um parque de diversões. Estúdios produzem conteúdos ruins para apelar para as massas e investidores, e é como extrair petróleo. Você ganha muito dinheiro agora, mas você destrói a terra”, comparou, em entrevista à revista britânica Radio Times.

“Isto está arruinando com o hábito de consumo de filmes do público americano e, no fim das contas, do resto do mundo. Eu não quero fazer um filme de US$ 200 milhões sobre super-heróis.”

A última vez em que Jodie Foster foi vista num filme aconteceu em 2013, na ficção-científica ‘Elysium’. Desde então, ela tem se concentrado em sua carreira como diretora – lançou o suspense ‘Jogo do Dinheiro’, estrelado por George Clooney e Julia Roberts em 2016, e assinou o episódio ‘Arkangel’, um dos pontos altos da temporada recentemente disponibilizada de ‘Black Mirror’.

Perguntada se dirigir um filme de super-heróis estaria fora de cogitação, Jodie preferiu não descartar totalmente a possibilidade, fazendo a ressalva de que precisaria ser um personagem com “uma psicologia realmente complexa”.

Você também acha que as superproduções do gênero são prejudiciais ao cinema? Deixe sua opinião nos comentários!