Papa condena 'horrores' na Nigéria após massacre de 110 civis

·1 minuto de leitura
Produtores rurais são enterrados em um funeral coletivo, após ataque do Boko Haram no nordeste da Nigéria

O papa Francisco condenou, nesta quarta-feira (2), "os horrores que ofendem a Deus", em referência ao Boko Haram na Nigéria, onde 110 civis foram massacrados no sábado em um ataque a arrozais, na vila de Koshobe, no nordeste do país.

"Desejo rezar pela Nigéria, tristemente ensanguentada por um massacre terrorista", disse o pontífice no final da audiência geral desta quarta, aludindo aos civis "brutalmente assassinados" em um ataque jihadista.

"Que Deus (...) converta o coração daqueles que cometem tais horrores que ofendem gravemente seu nome", suplicou.

A Nigéria sofre a violência de uma insurgência extremista há mais de uma década, de acordo com um balanço das Nações Unidas.

Homens armados chegaram em motocicletas e lançaram um brutal ataque contra homens e mulheres que trabalhavam nos campos de Koshobe, relatou o coordenador humanitário da ONU na Nigéria, Edward Kallon, em um comunicado.

"Pelo menos 110 civis foram cruelmente mortos, e muitos outros ficaram feridos", afirmou Kallon, que classificou o ataque como o mais sangrento cometido contra civis este ano nessa região.

O conflito na Nigéria deixou mais de 36.000 mortos e forçou dois milhões de pessoas a fugirem de suas casas.

kv/es/tt