“Vai cobrar da sua outra”, diz Maria Bruaca ao negar sexo a Tenório em “Pantanal”

Maria Bruaca enquadrou Tenório em
Maria Bruaca enquadrou Tenório em "Pantanal" (foto: reprodução / TV Globo)

Resumo da Notícia:

  • "Pantanal" caiu nas graças do público e tem movimentado as redes sociais e o público

  • Maria Bruaca está cada vez mais decidida em se empoderar sobre o marido, Tenório

  • A dona de casa está se libertando da pressão que o marido colocou sobre ela por toda a vida

O clima ficou tenso entre Maria Bruaca (Isabel Teixeira) e Tenório (Murilo Benício) no capítulo de “Pantanal” que foi ao ar nesta quarta-feira (8) na Globo. A dona de casa se rebelou contra o marido e não deixou passar o desaforo para o dia seguinte.

Ao conversar com sua imagem de Nossa Senhora de Fátima, ela confidenciou que havia pecado, mas gostado. “Se for pensar, fiz foi pouco perto do monte de galha que levei esses anos todinhos. O diabo sabe o que é? É que eu gostei, minha santa. E agora?”, questionou.

Confessando que não conseguia tirar os peões Levi (Leandro Lima) e Alcides (Juliano Cazarré) da cabeça, ela se lamenta: “Depois veio um pensamento tão forte, minha santa... tenho que tirar ele de mim, mas ele gruda.”

É quando Tenório entra no quarto e questiona se ela fez alguma coisa errada, já que estava rezando com tanto afinco, e continuou: “Sabe, te ver rezar assim está me dando vontade”, disse o fazendeiro. Novamente empoderada, ela o respondeu que estava com vontade da oração.

É quando o fazendeiro diz que a situação o deixou “animado” e ela o rejeita pela primeira vez. “O que foi, mulher? O que faço com a minha vontade?”, ele questiona. “Já falei que não quero. Você faz o que quiser. Eu que não vou falar o que quero na frente da minha santa”, responde ainda de frente para Nossa Senhora de Fátima.

Tenório então fala sério: “Tá bom, mas uma hora a gente vai ter que sentar para acertar essa história, viu. Sou seu marido e tenho meus direitos.” E é quando, empoderada novamente, ela o rejeita com veemência antes de deixar o quarto: “No meu direito de mulher traída, lhe digo: ‘Vai cobrar da sua outra’”.