Pantanal: Atores relatam perrengues durante as gravações da novela

·3 min de leitura
Atores de Pantanal contaram seus relatos (Reproduçao / TV Globo)
Atores de Pantanal contaram seus relatos (Reproduçao / TV Globo)

Antes mesmo de começar a ser televisionada, o remake de Pantanal roubou a atenção do público, seja pelo enredo icônico, ou pelos perrengues relatados por parte do elenco, que participou das gravações no Mato Grosso do Sul, região Centro-Oeste do Brasil. O calor, presença de animais e transporte, foram alguns quesitos de dificuldade por parte do time global. Como contou Juliana Paes, quase foi atacada por um jacaré enquanto estava trabalhando.

O susto aconteceu em uma cena na qual a atriz estava com a caracterização de grávida e boiava no rio. "Os ouvidos estavam submersos. Eu só escutava os barulhos debaixo d'água. Fiquei um tempão boiando, eles trocando de câmera. De repente ouvi um barulho alto. O pessoal pedindo para eu sair. Era um jacaré! Ele viu aquela carcaça boiando e foi atrás. Tive que sair correndo com aquela barriga", desabafou a atriz, aos risos, durante a coletiva de imprensa.

Ela conseguiu escapar a tempo, mas não foi a única que sentiu esse medo. Enrique Dias afirma que ele e Bruna Linzmeyer também gravaram cenas no rio e ficaram muito próximos do animal. "A gente estava nadando e tinha um jacaré a meio metro", diz o ator.

Tempestade de areia

Além de enfrentar os habitantes naturais da região, o elenco sofreu com uma tempestade de areia. Em seu Instagram, Juliana havia mostrado o momento da ventania com poeira. "Gente, são 2h53 da tarde. Virou noite de repente aqui", disse em um vídeo com visibilidade quase nula. Em seguida, mostrou o “início da tempestade” que deixou o Pantanal na escuridão em pleno dia. Abrigada em uma espécie de varanda, a atriz sentiu os ventos de quase 100k/h.

Hora de ir ao banheiro

O deslocamento no Pantanal também não foi nada fácil. Segundo a atriz, as fazendas ficavam distantes e eles passavam por várias porteiras. Quando sentia vontade de urinar, o jeito era parar o carro e se esconder no mato. "Ficavam de vigia para mim. E o medo de vir um bicho na hora? Foi complicado, mas deu tudo certo", afirmou a artista.

Locomoção

A produção da obra de Bruno Luperi utilizou seis fazendas durante as gravações da novela, mas elas não eram muito próximas umas das outras. A solução encontrada foi se deslocar em um pequeno avião, o que dava um "frio na barriga", segundo Bruna Linzmeyer. "Você podia pegar um avião teco-teco de 6 lugares, em um calor desgraçado e ficar balançando. Dá um frio na barriga. Foi o maior perrengue. Eu tomava um remedinho antes de ir", comentou em entrevista ao GShow. Irandhir Santos, um dos destaques da trama, também teve receios com o transporte aéreo: "Eu até poderia ir pelo ar, mas eu não seria o mesmo pelo resto do dia", revelou o ator durante coletiva da trama.

Calor intenso

Murílio Benício, o "vilão" da história, não ficou nada feliz com o calor da região, mas segundo ele, o clima ajudou a entrar na atmosfera do personagem. "Ir até uma locação ajuda a entender a atmosfera, está ali. Acredito que apesar da dificuldade de estar no Pantanal, aquele calor, ir ajudou demais a entender qual história estamos contando. No entanto, que quando voltamos do Pantanal, voltamos diferente", afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos