Países, críticas sociais e homenagem a Marielle Franco são destaques do 2º dia do carnaval de São Paulo

Desfile da Mocidade Alegre (Foto: Guilherme Rodrigues/Futura Press)

O último dia dos desfiles do Grupo Especial do carnaval de São Paulo, que aconteceu no Sambódromo do Anhembi,  neste sábado (2) trouxe para a avenida as escolas Águia de Ouro, Dragões da Real, Mocidade Alegre, Vai-Vai, Rosas de Ouro, Vila Maria e Gaviões da Fiel.

Receba no seu Whatsapp as novidades sobre o mundo dos famosos (e muito mais)

Duas das maiores campeãs do Carnaval paulistano, Mocidade Alegre, com dez títulos, e Vai-Vai, isolada na liderança com quinze, deram um show no Anhembi e mostraram que pretendem manter a hegemonia.

Veja mais: Os melhores momentos do 2º dia de desfile das escolas paulistanas

Saiba como foi a participação de cada uma delas:

Águia de Ouro

(Foto: Paulo Lopes/Futura Press)

A escola da Zona Oeste foi a primeira a desfilar no segundo dia. Campeã do Grupo de Acesso de 2018, a Águia resolveu abordar a política e corrupção, com com o enredo “Brasil, eu quero falar de você! Que país é esse!”. Entre os destaques, uma ala bateu panelas, outra representava a Operação Lava Jato e ainda teve a com componentes nas cores da bandeira do Brasil.

Dragões da Real

(Foto:Paulo Lopes/Futura Press)

Vice campeã do carnaval de São Paulo em 2017, a segunda escola a desfilar teve como tema o tempo, escolha do carnavalesco Mauro Quintaes, que estreia na Dragões. Na avenida calendários, relógios e ampulhetas deram o tom do desfile, que viajava pelo presente, passado e futuro.

Mocidade Alegre

(Foto: Newton Menezes/Futura Press)

A escola, vice-campeã do ano passado, trouxe para o Anhembi uma lenda amazônica. O enredo “Ayakamaé – As águas sagradas do sol e da lua” mostrou a história de amor entre o sol e a lua. Este ano o cantor Igor Sorriso voltou à escola.

Vai-Vai

(Foto:Guilherme Rodrigues/Futura Press)

A escola da Bela Vista, maior campeã do Carnaval paulistano, com 15 títulos, levou para a avenida as lutas do povo negro com um contador de histórias africanos que vem do futuro. O grande destaque da noite foi a homenagem a vereadora Marielle Franco, que foi morta a tiros em março do ano passado. A ala “Eu tenho um sonho” criou um mosaico com a foto de Marielle e a frase ” Marielle presente”. Luyara Santos e Anielle Franco, filha e irmã de da vereadora, também desfilaram.

Rosas de Ouro

(Foto: Newton Menezes/Futura Press)

A escola fez uma homenagem ao povo armênio com o enredo “Viva Hayastan!”( que na língua armênia significa país. A Rosas mostrou a história do carnaval de São Paulo e a comunidade armênia, que há cem anos foram mortos pelos turcos. Destaque para Ellen Roche, rainha da bateria há 13 anos.

Unidos de Vila Maria

(Foto: Newton Menezes/Futura Press)

A escola da Zona Norte fez homenagem ao Peru com o enredo “Nas asas do grande pássaro, o vôo da Vila ao império do Sol”. Os carnavalescos Alexandre Louzada e Cristiano Bara levaram para a avenida referências históricas, culturais, culinárias e lendas do país. Destaque para o segundo carro da escola, com três lhamas gigantescas.

Gaviões da Fiel

(Foto: Paulo Lopes/Futura Press)

A escola encerrou os desfiles do Grupo Especial de São Paulo com o enredo “A saliva do santo e o veneno da serpente”, reeditado de 1994, que aborda a história do tabaco. Na avenida destaque para a estreia de Sabrina Sato como rainha da bateria, depois de ser a madrinha da escola por 15 anos. A escola também retratou a conquista do direito das mulheres.

Com Folhapress