As paisagens da Jordânia que fazem sucesso em Hollywood

Por Kamal TAHA
1 / 2
Deserto de Wadi Rum, sul da Jordânia

De "Lawrence da Arábia" até a última parte de "Star Wars", sua paisagem cor de ocre é reconhecível entre milhares de cinéfilos.

No sul da Jordânia, Wadi Rum é um lugar-chave neste pequeno país do Oriente Médio, onde grandes sucessos de Hollywood foram filmados.

Com formações rochosas impressionantes, distante da rota principal entre a capital Amã e as margens do Mar Vermelho, este deserto está ancorado no imaginário dos espectadores desde que Peter O'Toole o visitou montado em um camelo em "Lawrence da Arábia", em 1962.

Mas a lista de filmes de sucesso que mostram essas paisagens é longa.

Nos últimos anos, depois de "Perdido em Marte", com Matt Damon, Will Smith participou das filmagens, no final de 2017, de "Aladdin", uma produção da Disney.

"Quando chegamos à Jordânia, de repente você começa a entrar nos sentimentos do personagem. Foi o que aconteceu quando estávamos no Wadi Rum. Foi realmente espetacular", disse o ator americano em uma entrevista coletiva em Amã em maio, quando o filme foi lançado.

Ao contrário de muitos países da região, a Jordânia, que carece de hidrocarbonetos, está comprometida desde o início do século XXI com seduzir a indústria cinematográfica.

Em 2003, foi criada uma Comissão Real de Cinema da Jordânia, com a ideia de tornar o país um "imenso estúdio ao ar livre", de acordo com seu diretor-geral, Mohanad al-Bakri.

Para atrair diretores de todo mundo, este órgão, presidido pelo príncipe Ali bin Al Hussein, meio-irmão do rei Abdullah II, oferece uma lista de vantagens técnicas e financeiras.

Por exemplo, as empresas de produção podem recuperar entre 10% e 25% de suas despesas na Jordânia, se excederem um milhão de dólares (900.000 euros), ou se beneficiar de isenções fiscais em equipamentos importados.

- Escolha natural -

O diretor de "Aladdin", Guy Ritchie, destacou, sobretudo, a qualidade do cenário, afirmando que o Wadi Rum foi imposto como uma "escolha natural" para rodar várias cenas do filme inspiradas em uma história de "As mil e uma noites".

"Há tanta paz aqui no deserto, é incomparável", declarou o ator Mena Massoud, que interpreta o personagem principal.

Mas essa paz de espírito também é o resultado do trabalho realizado antes das filmagens, afirmam as autoridades.

Munir Nassar, diretor da Zaman Project Management, uma produtora local, afirma ter preparado as filmagens do último episódio de "Star Wars" ("A ascensão Skywalker"), por cinco longos meses.

"Quando os atores chegaram, as filmagens duraram 12 dias e depois eles foram embora", disse o ex-ministro do Turismo.

"Rogue One: uma história Star Wars" já havia sido filmado no deserto da Jordânia. E o produtor Nassar participou de outras quatro filmagens, entre elas, "Missão: Marte", de Brian de Palma.

Wadi Rum não é o único local da Jordânia que os cineastas apreciam, diz Mohanad Bakri.

Entre os grandes clássicos de Hollywood está "Indiana Jones e a Última Cruzada", dirigido em 1989 por Steven Spielberg, que transportou seus espectadores para a antiga cidade nabateana de Petra (sul).

Al Khazneh ("o tesouro"), seu templo mais famoso e esculpido na rocha, foi apresentado como a porta de um lugar sagrado que abrigava o Santo Graal.

A pitoresca cidade de Madaba, ao sul de Amã, também foi escolhida para imitar as antigas aldeias gregas.

E a reserva natural de Al Azraq, ao leste de Amã, já serviu para incorporar paisagens de regiões do sul da Ásia.