Pai de Lucas Santos, que se suicidou após comentários em vídeo, deseja: “Abrir os olhos dos pais”

·4 minuto de leitura
César Soanata e o filho, Lucas, que tirou a vida após comentários em um vídeo (reprodução/instagram @cesarsoanata)
César Soanata e o filho, Lucas, que tirou a vida após comentários em um vídeo (reprodução/instagram @cesarsoanata)

Este texto tem alerta de gatilhos para pessoas sensíveis sobre suicídio, assédio digital, bullying e hate virtual.

Este texto também é, além de uma reportagem, um pedido que os comentários maldosos e motivados pelo ódio parem. Se a sua opinião não vai melhorar, acrescentar, ou facilitar a vida do outro, ela não importa. Não a faça. Não a escreva. Não a compartilhe. Pessoas não são iguais e não lidam e absorvem a opinião do outro da mesma forma. Se ainda assim você quiser fazê-la, se olhe no espelho e a diga para você e poupe o outro. Parem de destilar ódio nas redes sociais. Caso você seja vítima de bullying ou hate, ou precise conversar e se ouvido, não hesite e ligue 188.

César Soanata usou as redes sociais para agradecer as demonstrações de carinho e pêsames após o suicídio do filho, Lucas Santos, de 16 anos. O jovem, fruto de seu relacionamento com a cantora Walkyria Santos, tirou a vida após uma onda de comentários homofóbicos em um vídeo no Tiktok.

“Agradeço pelas condolências e pêsames que venho recebendo desde ontem. Eu não tenho como falar, não tenho como expressar a minha gratidão a vocês porque, graças ao meu bom Deus, à minha família e aos amigos, estou aqui de pé”, começou sua fala.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Leia também:

O empresário revelou que não deixará sua perda ser esquecida. “A morte do meu filho não vai passar em branco. Eu tenho certeza que Deus me deu uma missão e que irei cumprir essa missão, que é tentar abrir os olhos dos pais e das mães que a vida é muito mais do que uma curtida na rede social, é muito mais do que uma postagem com visualizações”, apontou.

Soanata também criticou os comentários de ódio que o menino recebeu nas redes sociais. “A humanidade está doente, totalmente doente. A depressão, infelizmente... Agora estou sentindo na pele... Porque a gente acha que só acontece na casa do vizinho e, infelizmente, aconteceu na minha casa e, infelizmente, eu não estava perto para tentar fazer algo”, lamentou.

Ele quer criar uma rede de apoio e alerta. “Estou fazendo esse vídeo para você pai, para você mãe, para você jovem, para você adulto: 'nunca é tarde para procurar apoio, nunca é tarde para procurar ajuda'", pediu.

César deu um alerta para quem tem filhos que produzem conteúdo para a rede. “Para que o jovem possa entender que conversar com o pai ou com a mãe não é ter a certeza de que será castigado ou punido e sim ouvido. A gente precisa cuidar da nossa juventude. As pessoas precisam de mais amor, mais empatia, mais respeito, amor ao próximo e, principalmente, Deus no coração", concluiu.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Famosos usaram suas redes sociais para comentar o fato e muitos responsabilizaram os internautas pelo ocorrido, pediram o fim de ataques e mais respeito na internet.

Além de Juliette Freire, Gil do Vigor e Gretchen, o ator Silvero Pereira foi um dos manifestantes: "Vocês que usaram os dedinhos para comentar homofobia conseguem ver as mãos sujas de sangue", disparou.

Entenda o Caso

Há alguns dias Lucas compartilhou um vídeo no Tiktok em que aparece como se fosse dar um beijo em um outro menino, que é seu primo. O conteúdo teve uma repercussão maior do que ele imaginou e com isso vieram os inúmeros comentários de ódio.

O próprio jovem havia feito um outro vídeo para tentar explicar e contextualizar o primeiro. “Provavelmente vai chegar na minha tia e vou tomar um ‘bufete’, e não quero tomar esse ‘bufete’. Avisando também que nós dois somos amigos e heterossexuais. Começamos a gravar uns vídeos juntos e tirando onda. Quando cheguei em casa fiz esse vídeo tirando onda, mandei para ele tirando onda, enviamos para os amigos tirando onda”, explicou.

Como tudo era uma brincadeira, ele não avaliou os possíveis danos. “Pensei: ‘Porque não posto no Tiktok, ganho 500 visualizações e tiramos onda um com o outro?’. Só que acabou que 500 visualizações pularam para 1000, para 10.000... O que veio na minha cabeça foi: isso é muito bom, mas vou tomar uma chinelada, uma surra tão merecida... Mas é isso, somos apenas amigos, foi só uma brincadeira. Sempre deixei claro que éramos amigos e não sabia que ia dar essa repercussão toda”, disse.

Suas contas nas redes sociais foram bloqueadas pela família e os conteúdos deletados. No Tiktok, rede onde o vídeo foi originalmente publicado, ele tinha mais de 19 mil seguidores.

Velório e último adeus

Alexandre César, empresário de Walkyria, contou que não foi ela que encontrou o filho. “Ele foi encontrado sem vida no quarto dele na casa da Wal em Natal, no condomínio Green Club. Era de madrugada, quase de manhã. Foi a tia dele, o pessoal que mora junto. A irmã e o cunhado da Wal moram com ela. A morte pegou todo mundo de surpresa. Era um menino que tinha muitos amigos. Wal está trancada no quarto, destroçada", contou à ‘Quem’.

O corpo foi velado ainda na terça-feira (3), no Centro de Velório São José, em Natal e o sepultamento está marcado para às 10 horas desta quarta-feira (4), no cemitério Vila Flor, em Macaíba, Região Metropolitana de Natal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos