Pai deu à luz: homem trans engravidou para realizar sonho do casal

Homem trans engravidou para realizar sonho do casal. Foto: Arquivo pessoal

A contagem regressiva do auxiliar de produção Frank Teixeira, de 27 anos, e da professora Taris de Souza, 38, teve fim nesta terça-feira (11), quando a filha deles, Antonella, nasceu.

Esta seria apenas mais uma história de um casal que se ama e sonhava em formar uma família não fosse uma diferença: Frank, que é um homem transexual, foi quem engravidou.

Leia também:

Juntos há seis anos, o casal de Itapira, cidade do interior paulista, se conheceu na academia quando Frank ainda se identificava como mulher. Segundo Taris, que nunca tinha se relacionado com alguém do mesmo sexo antes, a afinidade e a amizade foram aos poucos dando lugar ao amor. “Se você me perguntar como aconteceu, não sei explicar. Quando vi já estava envolvida”, explicou em entrevista ao Yahoo Vida e Estilo.

Depois de algum tempo de namoro, Frank decidiu passar pela transição de gênero. Aos poucos, o cabelão foi sendo encurtado, as roupas mudaram, os pelos começaram a aparecer e a voz engrossou por causa dos hormônios. “Para mim foi super tranquilo, a única coisa que me preocupava era a saúde porque a gente sabe que hormônio não faz bem para o organismo, mas íamos ao médico uma vez por ano fazer um acompanhamento”, diz Taris.

A professora conta que sempre sonhou em ser mãe. Inicialmente, eles pensaram em adotar, mas desistiram por causa da longa espera e pelo medo de a criança querer procurar os pais biológicos. Decidiram apostar, então, com auxílio de um ginecologista, na inseminação artificial caseira. No processo, o sêmen de um doador -- um conhecido de Frank neste caso -- é inserido na mulher com uso de uma seringa. Foram 11 tentativas entre agosto e novembro do ano passado, todas feitas em Taris, sem sucesso.

Desgastada emocionalmente, Taris resolveu desistir. Ao ver o sofrimento da mulher, Frank decidiu, sem contar para ninguém, testar nele mesmo a inseminação. Na ocasião, ele estava há quase sete meses sem tomar os hormônios, então, menstruava normalmente. Deu certo na primeira tentativa.

Homem trans engravidou para realizar sonho do casal. Foto: Arquivo pessoal

“Chorei de felicidade, agradeci, mas também fiquei apreensiva com o que isso pudesse causar emocionalmente nele. Uma gestação é algo muito feminino. E aí ele falou que fez porque era o nosso sonho, em especial o meu”, diz . Ela frisa que o fato de Frank ter parado com os hormônios não foi premeditado e vê a situação como intervenção divina.

“Eu costumo falar que isso foi dedo de Deus, porque não tem outra explicação. Deus já vem preparando a chegada da Antonella há muito tempo”, conta.

Frank falou ao Yahoo Vida e Estilo uma semana antes de Antonella nascer. Ele relatou as dificuldades da reta final da gravidez e a questão da aparência. “As costas doem, tem o barrigão, as roupas...não vejo a hora de ela nascer”, contou aos risos.

Depois que amamentar a filha, o auxiliar de produção disse que pretende voltar a tomar os hormônios e fazer a mastectomia.

Sem que ele ainda não tenha mudado o nome nos documentos, Antonella terá o nome de duas mães na certidão de nascimento. A família está maravilhada com a chegada do bebê e o casal conta que sempre foi tratado com respeito.

Antonella, que significa “digna de apreço”, nasceu saudável, com 3.450 kg e 48 cm. Pai e filha passam bem.

Taris e Frank pretendem contar para a filha sobre a configuração familiar, mas não temem preconceito. “Até ela ter idade suficiente para poder entender a gente acredita que tudo vai estar mais evoluído. O que a gente quer que ela saiba é que ela foi uma prova de amor absurda. A gente quer que ela tenha orgulho disso”, diz Taris.