"Pacto Brutal": o que esperar do documentário sobre o assassinato de Daniella Perez

A série documental "Pacto Brutal: O Assassinato de Daniella Perez", que contará os detalhes do assassinato da jovem atriz, chega ao HBO Max nesta quinta-feira, 21 de julho. A produção promete mostrar detalhes de caso de Daniella, filha da escritora Gloria Perez, que estava no auge da carreira quando foi brutalmente assassinada aos 22 anos.

O crime ocorreu quando ela estrelava a novela "Corpo e Alma", da TV Globo, que era escrita por Gloria. Na história, a personagem de Daniella fazia par romântico com Guilherme de Pádua, o responsável pelo assassinato da jovem atriz, em 1992.

O corpo da jovem foi encontrado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro e pouco depois, as investigações concluíram que Guilherme e sua então esposa, Paula Thomaz, foram os culpados por orquestrar e matar Daniella. Cinco anos após o crime, Guilherme e Paula foram condenados a 19 anos e seis meses de prisão, mas tiveram a pena reduzida para seis anos.

A série "Pacto Brutal" irá resgatar memórias dos amigos e familiares de Daniella, além de contar com entrevistas de pessoas próximas à atriz, como a mãe, Gloria Perez. “O tempo não apaga nada. Pelo contrário. À medida que os anos passam, à medida que o mundo se transforma, essa ausência se sublinha cada vez mais", declarou em conversa com Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo.

Luta por justiça

Em postagem feita no Facebook, Gloria explicou por que só aceitou abrir seu arquivo pessoal e participar do documentário três décadas depois do crime. "Abri meu arquivo porque a proposta foi o que sempre esperei: a divulgação dos autos do processo. Sem nenhum tipo de retorno financeiro, quero deixar bem claro", escreveu.

"Confio que esse documentário não deixe mais espaço nenhum para as versões fantasiosas que os assassinos tentaram emplacar na imprensa, durante os anos que antecederam o júri que condenou os dois por homicídio duplamente qualificado", completou.

Perez criticou a forma como a mídia tratou o caso na época e deu espaço para Guilherme apresentar diferentes versões do crime, sabendo que isso refletiria na imagem da vítima. “Não é justo que ela tenha sido assassinada de maneira brutal que foi e ainda tenha sido descrita através das palavras de um assassino como uma pessoa louca, fora de si", enfatizou na entrevista com a Folha.

Quem participa do documentário?

Além de Glória Perez, a produção contará com os relatos de Raul Gazolla, então marido de Daniella, Maurício Mattar, Claudia Raia, Fábio Assunção, Cristiana Oliveira e Eri Johnson.

Quantos episódios terá a série?

Tatiana Issa e Guto Barra são os diretores do projeto, que terá cinco episódios ao todo. No entanto, nenhum deles terá participações dos condenados pelo crime. A dupla também decidiu não incluir a reencenação do crime em respeito a vítima e seus familiares.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos